PUBLICIDADE

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Dieta ortomolecular – Cardápio, Refeições, Princípios

A dieta ortomolecular traz um cardápio repleto de vitaminas, minerais e aminoácidos que promovem a desintoxicação do organismo e proporcionam um equilíbrio nutricional e energético. Todos nós estamos expostos a uma série de fatores que alteram o funcionamento do organismo de formas diversas. O consumo de bebidas alcoólicas, alimentos gordurosos, estresse e a poluição ambiental, por exemplo, são prejudiciais para a nossa saúde.

Os princípios da dieta são baseados na redução do consumo de produtos industrializados e aumento da ingestão de verduras e frutas, sempre frescas. Assim, pode-se “limpar” mais organismo, apenas com o consumo de alimentos saudáveis.

O cardápio da dieta ortomolecular é formado por alimentos antioxidantes como: soja em grão, gérmen de trigo, levedo de cerveja, linhaça, grão de bico, avelã, castanha-do-pará, amêndoa, aveia, além daqueles ricos em magnésio, como as nozes, os cereais e os legumes, em selênio e em zinco, como os frutos do mar, a carne vermelha, os peixes e os cereais. Recomenda-se o consumo de todos esses alimentos frescos, principalmente as frutas e verduras.

Dieta ortomolecular

As refeições são complementadas com o consumo de proteínas mais com baixo teor de gordura. Indica-se: aves, peixes, clara de ovo, frango resfriado ou caipira abatido na hora, peixes, como a anchova, o badejo, o salmão, o linguado, o bonito ou a truta. A carne vermelha está liberada, desde que sejam os cortes mais magros e tenha sido resfriada anteriormente. Os carboidratos integrais também devem estar presentes, por isso intensifique o consumo de aveia, centeio, arroz enriquecido com cereais; granola e as versões integrais de arroz, macarrão, torrada e biscoito, todos esses alimentos são capazes de nos fornecer doses extras de energia.

Deve-se ainda, aumentar o consumo de água para auxiliar na limpeza do organismo e na otimização do funcionamento de alguns órgãos, como os rins e o fígado. Por fim, durante dieta ortomolecular recomenda-se o consumo de alimentos de duas em duas horas, intervalo que pode ser estendido até no máximo quatro horas.