PUBLICIDADE

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Menores parcelas para financiamento de automóvel novo


Para você que está planejando a compra de um novo automóvel e fica ainda mais atraído pelas parcelas reduzidas, saiba que mesmo com a redução geral no valor do automóvel, é preciso ter bastante cautela e se prevenir de negócios ruins. A redução dos juros que vem estimulando a economia deverá permanecer até Junho deste ano, mas muitas concessionárias anunciam parcelas com valores bem menores que a média do mercado. O que acontece é que as prestações mais baratas são apenas nos primeiros 12 ou 24 meses, depois disso o valor dobra e os clientes só descobrem isso quando já estão fechando o negócio.
Sem dúvidas, essa é uma forma de estimular a compra por parte daqueles clientes que já estão pagando outro financiamento no ato da aquisição do veículo, mas por outro lado, pode acabar sendo uma roubada para quem não possui um bom planejamento financeiro. Em todo caso, um levantamento feito recentemente mostra que é possível financiar um veículo de motor 1.0, avaliado em R$ 22.990,00, sem entrada, por parcelas fixas de R$ 559,00, com taxa de 1,26% ao mês.

Menores parcelas para financiamento de automóvel novo

Para quem planeja comprar o primeiro carro, a dica é estipula metas de valores que poderá guardar todo o mês antes de assumir o financiamento. O ideal é tentar poupar R$ 500 durante três meses seguidos, com êxito pode-se ter a certeza de que a sua parcela poderá ser de R$ 500. É preciso ter bastante cuidado ainda com as linhas de financiamento, buscando contratos com menores taxas, que atualmente podem ser de no mínimo 1,49% ao mês.
Quem já possui uma economia em caixa, poderá aproveitar as parcelas mínimas para financiamentos em curto prazo, em média, a alíquota menor, de 0,86% é aplicada para financiamentos em até 12 meses, que corresponde a 50% do valor do bem. Pois é, aproveite as dicas e esteja alerta para as propostas de mercado e pesquise bastante antes de adquirir o seu veículo.

Valorização de imóveis 2013


O número de investidores tem crescido consideravelmente entre os brasileiros, em média, 60% dos compradores de imóveis têm o perfil morador e 40% é investidor. No entanto, com a expectativa de valorização dos imóveis esse percentual deverá subir, e seguindo a média do ano passado, 70% dos investidores desse setor continuarão comprando com o objetivo de revenda, os 30% restantes investirão em aluguel.
Pois é, a cada ano que passa comprar um imóvel na planta se torna uma excelente opção para quem acredita na economia de dinheiro e quer escolher as melhores unidades.  A possibilidade de uma boa valorização do imóvel para revenda posterior é enorme e oferece uma boa renda para quem já está no ramo. Em 2012 a valorização média do metro quadrado dos imóveis foi de 13,7%, bem acima dos principais índices de inflação brasileiros. Os estados que tiveram maior alta foram: Recife, 17,8%; São Paulo, 15,8% e Rio de Janeiro, 15,0%. Apenas no Distrito Federal ficou de fora da lista, pois a alta no preço anunciada ficou abaixo da inflação.

Valorização de imóveis

Quanto às preferências, pesquisas mostram que os apartamentos de três dormitórios são os preferidos em todas as faixas de renda. A tendência atual para os imóveis de médio e alto padrão, com a redução do número de pessoas nas famílias, é de que o espaço do quarto dormitório, em imóveis maiores, seja transformado em uma terceira sala, que é transformada em um espaço para eletrônicos, como videogames, TV e computador.
Com três dormitórios, as duas garagens são pedido obrigatório, além disso, pode-se exigir que o prédio tenha vagas para visitantes. Outra tendência que tem feito bastante sucesso e agradado bastante aos consumidores é trazer o lazer para dentro da residência, seguindo essa linha os imóveis com três salas e varanda gourmet com ligação direta com a cozinha do apartamento, tem sido a preferência da maioria da população.

Melhor comprar carro equipado ou comprar acessórios depois?


Antes de comprar um carro muitas decisões precisam ser tomadas, modelo, marca e cor são algumas delas. Outra dúvida comum de muitos consumidores é a versão, será que vale a pena comprar a versão básica e alguns itens opcionais separadamente ou melhor  mesmo é investir logo em uma versão mais completa, com todos os acessórios já inclusos?  Pois é, esse tipo de pergunta só pode ser respondida por quem realmente entende do assunto e lida dia a dia com automóveis. Vale lembrar ainda que o melhor também irá depender do modelo do veículo e da marca, uma vez que algumas empresas já investem em itens diferenciados mesmo na versão básica.
Em todo caso, se já há intenção de gastar dinheiro com os acessórios, vale mais a pena comprar a versão mais avançada, pois essa já vem com os acessórios de fábrica, ao contrário da versão mais básica, que será necessário pagar pelos acessórios separadamente na concessionária. O automóvel com a versão mais avançada já vem incluído no seu preço os serviços de instalação dos equipamentos, que ficariam mais caros na instalação à parte, além de contar com a vantagem de ter um design mais moderno e trazer mais opcionais. Outro detalhe importante é que quando compramos os acessórios separados, principalmente se os itens não vierem da concessionária, o design ficará quebrado e o consumidor poderá ter dificuldades de encontrar algumas peças na mesma tonalidade.

Melhor comprar carro equipado ou comprar acessórios depois?

Se levarmos em consideração apenas os custos para equipar o carro fora da concessionária, o gasto pode até ser menor em alguns casos, mas em contrapartida, o consumidor poderá perder a garantia do carro. Isso acontece porque algumas concessionárias podem se recusar a reparar o veículo, alegando que o equipamento instalado ocasionou o problema. Por isso, caso decida por equipar o carro fora da concessionária, é necessário estar atento a todos os detalhes da garantia do veículo.

Novo salário mínimo 2013 – R$ 678 reais


O reajuste de 9% dado pelo governo sobre o salário mínimo já está em vigor. O novo salário, R$ 678, anunciado pela ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffman, no dia 24 de Dezembro terá um impacto de R$ 12,3 bilhões sobre as contas da Previdência Social, mas representa um acréscimo favorável nos lares brasileiros. O impacto negativo sobre os cofres da Previdência é calculado com base nos benefícios pagos aos trabalhadores, tanto previdenciários (como aposentadorias) quanto acidentários ou assistenciais, que são associados ao salário mínimo.
A maioria dos profissionais que dependem do valor salário mínimo para calcular a sua remuneração não têm conhecimento, mas o valor do salário mínimo brasileiro é calculado com base no percentual de crescimento do Produto Interno Bruto – PIB do ano retrasado mais a reposição da inflação do ano anterior pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC. A saber, em 2011, a variação do PIB foi de 2,73%, e a inflação de 2012 medida pelo INPC, de 6,1%.

Novo salário mínimo 2013

Da mesma forma que acontece com os pagamentos, as contribuições que estão vinculadas ao valor ao salário mínimo também sofrerão reajustes. Aí se encaixam os empreendedores individuais e segurados facultativos de baixa renda, cuja contribuição é fixada em 5% do mínimo, até 2012, o valor era R$ 31,10, mas a partir desse ano, passarão a pagar R$ 33,90. Na mesma medida provisória em que determinou o reajuste do salário mínimo, o governo também determinou isenção do Imposto de Renda para valores de até R$ 6.000 recebidos por participação em lucros e resultados.  Essa isenção representa um impacto de R$ 1,7 bilhão no ano sobre os cofres públicos.
O orçamento desse novo ano que começa, previa alta do valor mínimo pago aos trabalhadores para R$ 674,96, mas a proposta original do governo trazia um aumento ainda menor, de R$ 622 para R$ 670,95, entretanto o cálculo da inflação foi reajustado, elevando assim o valor.

Como aumentar o limite do cartão de crédito


Milhares de brasileiros que dependem do sistema de crediário para lazer, alimentação, vestuário entre tantas outras utilidades, desejam aumentar o limite do cartão de crédito, mas a depender do valor pretendido essa pode não ser uma tarefa tão simples quanto parece. O limite de crédito é o valor total oferecido pelo banco ao cliente, estabelecido durante a confecção do cartão e determinado a partir da análise e avaliação do valor ideal para cada proposta com base em uma porcentagem, que varia entre os bancos, sobre a renda mensal informada pelo cliente.
A maioria dos bancos altera esse valor periodicamente, sempre para um valor superior, de acordo com o histórico de crédito do cliente. Todos aqueles que pagam as faturas sem grandes atrasos e que se aproximam com freqüência do valor limite estabelecido, recebem um valor maior para gastar com o seu cartão de crédito. Para quem precisa de um limite maior para uma compra que não pode esperar, a solução é ligar para a Central de Atendimento do banco ao qual pertence o cartão.

Como aumentar o limite do cartão de crédito

A depender do valor solicitado, o banco pode aceitar o aumento imediatamente, ou pedir que o cliente apresente uma comprovação de renda, como: contracheques, extratos bancários ou extrato de declaração do imposto de renda. Vale lembrar que mesmo que sua renda seja bem maior que o valor solicitado ao banco, o seu novo limite não será aprovado caso o seu histórico de pagamento não seja bom, pois dívidas e atrasos pesam muito para a decisão do banco.
Em todo caso, quando o assunto é cartão de crédito, todo cuidado é pouco. Para um consumidor consciente, que assume uma dívida sabendo que terá condições de pagá-la, aumentar o limite do cartão pode ser uma boa solução para comprar algo que deseja, caso contrário, ter um valor maior para gastar pode desequilibrar sua vida financeira.

CDB de 10 anos – Rendimento CDB Direto


Agora é possível investir em Certificados de Depósitos Bancários – CDBs prefixados com prazo de dez anos. A proposta é feita pelo Banco Ficsa, que oferece uma rentabilidade, fixada no ato da compra do título de 170% em todo o período e uma taxa anualizada bruta de 10,48% ao ano. Para quem ainda não sabe como funciona um CDB, trata-se de um título de renda fixa indexado ao CDI – Certificado de Depósito Interbancário, que pode ser prefixado ou pós-fixado. Esse CDI nada mais é que a taxa de juros cobrada nos empréstimos entre bancos e o rendimento do CDB é referente a um percentual do CDI.
No CDB Direto, plataforma de investimento do Ficsa, os certificados são garantidos pelo Fundo Garantidor de Créditos – FGC para quantias de até setenta mil reais por CPF ou por instituição financeira. Por isso, o limite máximo de aplicação nesse novo produto do CDB Direto é setenta mil reais. O imposto de renda pago sobre o rendimento do CDB irá variar com base no prazo de aplicação, a alíquota vai de 22,5%, para prazos inferiores a seis meses, a 15%, para prazos superiores a dois anos. O investidor que quiser resgatar um CDB prefixado antes do término do prazo receberá uma remuneração correspondente a 90% do CDI do período, taxa similar à Selic.

CDB de 10 anos - Rendimento, sobre

O CDB Direto prefixado de dez anos estará disponível por prazo indeterminado e enquanto houver disponibilidade de títulos. Quem ainda tem dúvida sobre os tipos de investimentos disponíveis e não sabe em que aplicar o seu dinheiro, no site do banco Ficsa você poderá comparar o CDB com outros investimentos e saber qual melhor atende a sua realidade. Além disso, também é possível fazer perguntas e conversar diretamente com os consultores financeiros e saber mais detalhes sobre a modalidade de CDB com maior prazo.

CDB Direto: www.cdbdireto.com.br

Melhores concursos 2013


Nesse novo ano, a previsão é que aproximadamente oitenta mil vagas sejam abertas no setor público, nas três esferas públicas – municipal, estadual e federal. A expectativa é que sejam priorizadas as áreas da educação, saúde e segurança pública. De acordo com o informado pelo Ministério do Planejamento, a previsão é que sejam lançados os editais para provimento de vagas em órgãos como: Ministério da Fazenda, Ministério da Pesca e Aquicultura, Banco Central, Polícia Rodoviária Federal, Ancine, BNDES, Ibama e Anvisa. Outros órgãos ligados a cultura, regulação, defesa e infraestrutura também precisarão aumentar o seu quadro de funcionários.
Pois é, para quem já vem estudando para as seleções públicas, o melhor caminho é intensificar os estudos, uma vez que as demandas estão cada vez maiores e se acentuam com a chegada de eventos como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. Assim, a partir de 2014, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e o Ministério da Justiça, precisarão de muito mais gente. O número de vagas pode até ir além do que foi estimado para esse ano, mas vale lembrar que nem sempre estimativas de abertura de vagas feitas em um ano correspondem à realidade no decorrer do mesmo, uma vez que tudo isso passa pelo processo de planejamento governamental e leva em considerações razões econômicas e administrativas.

Melhores concursos 2013

Outra realidade dos órgãos públicos é o número de servidores que deverão se aposentar até 2014, no Banco Central, por exemplo, existe a expectativa de aposentadoria de 4.800 funcionários, portanto, as 1.200 vagas que deverão ser abertas esse ano serão insuficientes. Investir em uma carreira pública é o ideal para quem quer estabilidade e garantia de uma boa remuneração. Acesse o site indicado a seguir e fique por dentro de todas as novidades, editais e novas vagas que serão abertas durante esse ano.
Melhores concursos de 2013 em www.pciconcursos.com.br



terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Nova lei seca – Mudanças, Valor da Multa


Já em prática, a nova versão da lei seca não para de multar motoristas embriagados, no feriado de Natal a média foi de um flagrante por hora em São Paulo, no réveillon a estimativa é que ainda mais motoristas sejam pegos. Pois é, a nova lei seca determina que o motorista flagrado embriagado e que se recusar a fazer o teste do bafômetro será multado em R$ 1.915,10. Para quem não lembra, antes o valor da multa era de R$ 957,70.
Em casos de reincidência, em um período de um ano, a multa chegará ao dobro, em R$ 3.830,80. Vale lembrar que a penalidade permanece igual: detenção, de seis meses a 3 anos, multa e suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo. As penas criminais dependem de regulamentação do Conselho Nacional de Trânsito – Contran.  No caso de infração, a lei determina a detenção da carteira do motorista e dos documentos do veículo pelas autoridades. O veículo também deve ser levado para o depósito dos departamentos de Trânsito e mantido sob o Poder Público, de acordo com o Artigo 262.

Nova lei seca - Mudanças

Entre outras mudanças, a nova lei ainda permite que outras provas possam ser usadas para confirmar a embriaguez ao volante. Assim, além do teste do bafômetro, ficou expresso na legislação que o motorista do veículo envolvido em acidente de trânsito ou que for alvo de fiscalização de trânsito poderá ser submetido a teste, exame clínico, perícia ou outro procedimento que, por meios técnicos ou científicos, permita certificar influência de álcool ou outra substância psicoativa que determine dependência.
As novas provas de comprovação que serão utilizadas são: concentração igual ou acima de 6 dg/L de álcool no sangue ou de 0,3 mg/L no ar alveolar, medido por bafômetro; sinais que indiquem, segundo o Contran, alteração da capacidade psicomotora, ou ainda, imagem, vídeo, testemunhas e outras provas lícitas.

IPI baixo prorrogado


Automóveis, fogões, geladeiras, máquinas de lavar e móveis continuarão com o Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI reduzido por mais seis meses. De acordo com o informado pelo ministro Guido Mantega, a partir de Janeiro de 2013 o valor do imposto sofrerá acréscimos progressivos, mas mesmo assim permanecerá abaixo do normal. A permanência na redução do imposto implica em desonerações de quarenta bilhões de reais.
Para os automóveis, o IPI começará a subir a partir de Janeiro. Carros populares, até 1.0, que tinham alíquota normal de 7% e que depois passaram para zero, no início do próximo ano passará para 2% e, de Abril a Junho será de 3,5%.  Carros com motores de 1.0 a 2.0 (flex), que tinham alíquota normal de 11% e após a redução ficaram com 5,5% até o momento, têm previsão de aumentar para 7% de Janeiro a Março de 2013 e, entre Abril e Junho, subir para 9%. Para carros a gasolina, 1.0 a 2.0, a alíquota normal era de 13%, caiu para 6,5% com a desoneração e entre Janeiro e Março será de 8%, mas de Abril a Junho subirá novamente, desta vez para 10%.

IPI baixo prorrogado

Os utilitários tinham alíquota normal de 8% de IPI, com a desoneração o imposto caiu para 1%, mas entre Janeiro a Março votará a subir para 2% e, de Abril a Junho, passará para 3%. Já os caminhões, entretanto, tinham alíquota de 5%, passaram para zero e deverão permanecer nessa faixa.
Para os produtos da linha branca, que incluem fogões, tanquinhos, refrigeradores e máquinas de lavar roupa, o princípio será o mesmo dos carros: a alíquota permanecerá menor do que a considerada normal pelo governo, mas será maior do que a atual. Lembrando que o benefício só vale para os produtos com eficiência energética “A”. Para os móveis, o IPI cobrado, que era de 5%, passou para zero com a redução de tributos, em Janeiro permanecerá esse valor, mas entre Fevereiro e Junho passará para 2,5%.


Conta de luz mais barata 2013 – Quanto vai diminuir?


A presidente Dilma Roussef anunciou que a conta de luz do brasileiro vai ficar 16,2% mais barata, em média, já no início de 2013. As indústrias irão pagar ainda menos, a redução será de até 28%, poisnesse setor os custos de distribuição são menores, já que operam na alta tensão.  De acordo com a presidente, essa é a mais forte redução de que se tem notícia neste país das tarifas de energia, com o objetivo de ajudar a economia a ser mais competitiva, baixando os custos de produção e os preços de produtos para gerar ainda mais renda e emprego.
Com as palavras da própria presidente: “Esta redução do custo da energia elétrica tornará o setor produtivo ainda mais competitivo. Os ganhos, sem dúvida, serão usados tanto na redução de preços para o consumidor brasileiro como para os produtos de exportação, o que vai abrir mais mercados dentro e fora do País”. A ideia é que um novo ciclo de desenvolvimento se inicie com uma nova forma de investimento e de gestão. Dilma diz ainda que o governo está agora lançando as bases concretas para sermos no médio e no longo prazo um dos países com melhora infraestrutura, com melhor tecnologia industrial, melhor eficiência produtiva e menor custo de produção.

Conta de luz mais barata 2013

Fazem parte do plano de redução das tarifas, uma redução de encargos, além de uma renovação das concessões que vencem a partir de 2015. No entanto, algumas companhias não renovaram as concessões, é o caso da Cemig, Cesp e Copel, por isso o Tesouro Nacional ainda analisa alternativas para cobrir a diferença que será gerada. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, informou que a União já reforçou em R$ 10 bilhões, atingindo um total de R$ 30 bilhões, o valor das indenizações para as companhias que anteciparam a renovação dos contratos para permitir a queda no custo da energia. Segundo o ministro, o valor da indenização é suficiente para cobrir a depreciação dos ativos dessas empresas.

Reajuste da gasolina em 2013


A gasolina sofrerá um reajuste em 2013. A noticia já foi confirmada oficialmente pelo ministro Guido Mantega, que na ocasião disse que não há data definida para o aumento do preço, mas que o acréscimo não é nada excepcional, uma vez todos os anos a Petrobras determina um novo reajuste. No final de Junho, a Petrobras anunciou um aumento do preço dos combustíveis cobrados nas refinarias. Para a gasolina o aumento foi de 7,83%, e para o diesel, de 3,94%. Entretanto, o que aconteceu foi que o Ministério da Fazenda isentou a comercialização destes combustíveis da cobrança da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico – Cide e os preços, com impostos, cobrados das distribuidoras e pagos pelos consumidores no final não tiveram nenhum aumento. Mas, agora como a Cide já está zerada, um novo reajuste seria necessariamente repassado para os preços ao consumidor.
A presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, também se pronunciou sobre o assunto e comunicou que não há previsão para aumento de combustíveis, mas confirmou que mesmo que não seja a curto prazo, haverá sim uma alta nos preços dos combustíveis.

Reajuste da gasolina em 2013

O aumento do preço da gasolina mexe com o orçamento familiar e com todo o mercado de combustíveis e outros, por isso o Mantega disse que se eu soubesse quanto e quando o reajuste acontecerá, não nos daria essas informações. Na oportunidade, o mesmo afirmou ainda que o governo ficará de olho “em todas as variáveis”, porque o preço do óleo no mercado internacional pode cair.
A economia brasileira também foi um dos assuntos associados ao reajuste do valor da gasolina. Com o aumento do Produto Interno Bruto – PIB, a economia deverá crescer 4% e o setor privado terá mais estímulos. É esse crescimento que deverá ajudar o país a caminhar na direção do cumprimento do superávit primário, economia do governo para pagar os juros da dívida pública em 2013.

O que é suplemento pró-hormonal?


Os suplementos pró-hormonais, que estão se tornando uma verdadeira febre nas academias, nada mais é que um nome genérico que abrange todos os compostos que depois de ingeridos são transformados em hormônios anabólicos, através de um processo fisiológico enzimático. Pois é, apesar de possuírem uma nomenclatura diferente e de fato não possuírem os mesmos compostos dos esteróides anabolizantes, os pró-hormônios são bastante semelhantes a esses, inclusive quando observamos os efeitos colaterais.
Pró-hormônios não são esteróides anabolizantes até que são metabolizados pelo nosso corpo, portanto podem ser vendidos sem infringir nenhuma lei. Foi esse o objetivo inicial dos desenvolvedores desses produtos, criar uma substância que gerasse os efeitos de esteróides anabolizantes, mas sem os problemas legais, uma vez que os mesmos são proibidos em diversos países. O problema maior surge na negligência do uso desses produtos, muitas pessoas consomem sem entender que trata-se de esteróides anabolizantes disfarçados e que apresentam os mesmos efeitos colaterais, principalmente para quem está na adolescência.  Produtos como M-Drol, H-Drol, Decafire, entre outros, não são apenas suplementos comuns e o seu uso não pode ser indiscriminado.

O que é suplemento pró-hormonal?

Efeitos como ganho de massa muscular e força são semelhantes aos esteróides anabolizantes reais, porém geralmente de forma inferior.  Já na lista dos efeitos colaterais, podemos incluir: perda do apetite sexual, perda de cabelo, ginecomastia, alteração na pressão sanguínea, danos aos rins, alteração no colesterol e acne. Além disso, como os pró-hormônios são vendidos em comprimidos, consequentemente quando ingeridos são metabolizados pelo fígado o que pode alterar as funções hepáticas, da mesma forma ou até pior do que com os esteróides anabolizantes orais.  Portanto, é necessário ter bastante cuidado ao optar por usar um pró-hormonal, tomando as mesmas precauções que são indispensáveis aos anabolizantes. Vale lembrar que os resultados prometidos pelos fabricantes, muitas vezes demoram a ser alcançados e os efeitos colaterais podem trazer sérios prejuízos à saúde.

Melhores e piores lugares do mundo para se morar


Quer saber onde estão os melhores lugares para se morar? Um ranking internacional divulgado pela Mercer Survey mostra quais são as melhores e piores cidades de todo o mundo. O objetivo da lista é ajudar empresas que têm de alocar expatriados em diversos pontos do globo. Foram avaliadas 221 cidades e entre os diversos critérios analisados estão: estabilidade econômica e política dos países em que essas cidades estão localizadas, os serviços de transporte, lazer e cultura que cada uma delas oferece. Além disso, também foram consideradas a eficácia de aplicação das leis, níveis de criminalidade e instalações médicas que também possuem relevância sobre o impacto na vida diária das pessoas.
Pois é, apesar da severa crise econômica que assola a Europa, o continente ainda continua a dominar o ranking. A lista mostra que países europeus como a Áustria, Alemanha e Suíça concentram as melhores cidades do planeta para se viver.  Liderando o ranking desde 2009, o primeiro lugar ficou com a cidade de Viena, na Áustria, que segundo a classificação oferece mais qualidade de vida para os seus habitantes. O segundo lugar da lista é ocupado pela cidade de Zurique, na Suíça, e Auckland, na Nova Zelândia, ocupa o terceiro lugar. A Suíça ainda tem outras duas cidades nas dez primeiras colocações: Genebra, na 8ª posição, e Berna, na 10ª. A Alemanha também tem três cidades na lista: Munique, em 4º lugar, Dusseldorf, em 6º, e Frankfurt, em 7º.

Melhores e piores lugares para se morar

Na América Latina, as cidades melhor avaliadas foram:  Pointe-à-Pitre, em Guadalupe, na 63ª posição; San Juan, em Porto Rico, na 72ª;  e Montevidéu, no Uruguai, na 77ª colocação. Nenhuma cidade brasileira foi incluída entre as 100 melhores do mundo em termos de qualidade de vida, a melhor classificada é Brasília, que caiu uma posição no ranking, ficando em 102º lugar. O Rio de Janeiro subiu duas posições, passando para o 112º lugar. E São Paulo subiu uma, ficando na 116ª posição.
Já as piores cidades para se viver mostradas no ranking foram Bagdá, no Iraque, Bangui, na República Centro-Africana, e Porto Príncipe, no Haiti. A Mercer também divulgou uma lista com as melhores infraestruturas urbanas, nesta classificação Cingapura foi a vencedora, seguida por Frankfurt e Munique, ambas cidades alemãs. A pior infraestrutura do mundo foi apontada na capital do Haiti, a cidade de Porto Príncipe.

Profissões para deficientes auditivos


Estar incluso no mercado de trabalho faz parte de um conjunto de expectativas individuais que todos nós alcançamos em um determinado momento da vida. Para os deficientes auditivos não é diferente, cada vez mais interessados e inseridos nos mais diversos ramos de atividades, os surdos têm conseguido enfrentar desafios e derrubar barreiras que antes os impediam de ter uma profissão.
Algumas instituições como a Feneis – Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos facilitam a entrada dos deficientes auditivos em diversas empresas, auxiliando na adaptação profissional para que eles consigam apresentar resultados satisfatórios, correspondendo as expectativas das empresas contratantes. As funções em que os surdos estão sendo mais inseridos incluem: ajudante de embalagem, fabricação, inspeção, produção ou expedição; auxiliar de mecânica, montagem, oficina, preparação, lapidação, contabilidade, escritório, costura, de serviços gerais, de serviços gráficos, de operador de máquina, de vendas ou de laboratório; arquivista; arquiteto; artesão; artista plástico; balconista; desenhista; marceneiro; digitador; embalador; fotógrafo; gráfico; montador; nutricionista; operador de computador; operador de produção; programador; pintor; projetista; recepcionista e muitos outros.

Profissões para deficientes auditivos

Ao observamos a gama de opções que o deficiente auditivo encontra ao buscar um emprego, percebemos que hoje a relação de funções que eles desempenham vão além do nível braçal, o que nos mostra que é possível sim ter uma qualificação em níveis mais avançados.  Para quem está começando a dica é buscar emprego em grandes redes de supermercado, fábricas e grandes escritórios.  Sabemos que, em virtude da lei nº 8.213/91, empresas com cem ou mais empregados devem ter uma reserva de vagas no percentual de 2% a 5% para trabalhadores portadores de deficiência física, visual, auditiva e mental e ainda beneficiários reabilitados, buscando-se garantir a integração do portador de deficiência na empresa, mas nem todas seguem o que a legislação impõem. Portanto, os deficientes auditivos devem buscar cada vez uma qualificação para buscar os seus direitos.