PUBLICIDADE

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Aposentadoria por invalidez e auxílio-doença


Tanto a aposentadoria por invalidez quanto o auxílio doença são benefícios pagos aos trabalhadores segurados, que atendam às condições estabelecidas pela Previdência Social. Ambos possuem valores definidos e devem ser devidamente comprovados para que seja liberado.
O auxílio doença é o benefício concedido ao segurado impedido de trabalhar por doença ou acidente por mais de 15 dias consecutivos. Para os trabalhadores com carteira assinada, exceto o doméstico, os primeiros 15 dias são pagos pelo empregador e a Previdência Social paga a partir do 16º dia de afastamento do trabalho. Os demais segurados, inclusive o doméstico, recebe o auxílio desde o início da incapacidade e enquanto a mesma perdurar sempre pela Previdência. Para receber o auxílio-doença o trabalhador deve comprovar a incapacidade em exame realizado pela perícia médica da Previdência Social, além disso, o mesmo tem de contribuir para a Previdência por no mínimo 12 meses, prazo que não é exigido em caso de acidente de qualquer natureza.
O valor desse benefício corresponde a 91% do salário de benefício, sendo que para os trabalhadores inscritos até 28 de novembro de 1999, este corresponderá à média dos 80% maiores salários de contribuição, corrigidos monetariamente, desde julho de 1994. Já para os inscritos a partir de 29 de novembro de 1999, o salário de benefício será a média dos 80% maiores salários de contribuição de todo o período contributivo. Para o segurado especial, trabalhador rural, o benefício corresponderá a um salário mínimo, caso o mesmo não tenha contribuído facultativamente.

Aposentadoria por invalidez e auxílio-doença

Já a aposentadoria por invalidez é o benefício concedido aos trabalhadores que, por doença ou acidente, forem considerados pela perícia médica da Previdência Social incapacitados para exercer suas atividades ou outro tipo de serviço que lhes garanta o sustento de vida. Esse tipo de aposentadoria é avaliada periodicamente e o trabalhador deverá passar por perícia médica de dois em dois anos, se não, o benefício pode ser suspenso.
Assim como o auxílio doença, para ter direito ao benefício, o trabalhador tem que contribuir para a Previdência Social por no mínimo 12 meses, no caso de doença, mas se for acidente, esse prazo de carência não é exigido. O valor do benefício corresponde a 100% do salário de benefício, caso o trabalhador não esteja em auxílio-doença, nas mesmas condições já descritas acima.

Tipos de luzes no cabelo


Para você que está pensando em mudar o visual e aderir as mechas mais claras de um look com luzes, saiba agora quais são os tipos de luzes mais usados nos salões de beleza. Hoje, já são usadas técnicas que misturam até quatro tons diferentes, garantindo um resultado mais natural, mas antes de mudar radicalmente é preciso estar atenta a alguns detalhes. O primeiro deles é pedir que o seu cabeleireiro avalie a real situação do seus fios para decidir se os mesmos suportam ou não a química pesada utilizada nesse tipo de coloração. O segundo ponto chave é escolher uma cor que combine com o seu tom de pele, para que o visual fique harmozinado.
Existem inúmeros tipos de luzes, os mais usados são o estilo surfista, consideradas como as mais modernas. Nessa técnica, a raiz permanece na cor natural, descolorindo apenas o comprimento e pontas. Essa tonalidade combina melhor com quem possui a pele clara. As do estilo dourada, são aquelas que se assemelham à tonalidade do cabelo natural, sendo ideal para loiras e para fios de cor mel ou acinzentado. Esse estilo é perfeito para peles bronzeadas.

Tipos de luzes no cabelo

As do estilo solares dão um charme sem igual e iluminam bem o visual quando a luz bate. Quanto mais discreto, melhor, sendo indicado para que possui a pele morena. As luzes nada monocromáticas, que variam bastante quanto aos tons, normalmente um abaixo e outro acima, mesclando com os fios naturais para dar movimento aos cabelos.
Vale lembrar que independente do estilo, as luzes são sim um tipo de coloração que pode danificar os fios, por isso é de fundamental importância fazer hidratações constantes. Além das sessões de hidratação no salão e de cuidados complementares em casa, o uso de uma linha de produtos para cabelos tingidos também é essencial.


Beber líquido na refeição engorda?


Se você sempre se priva de beber líquidos durante as refeições com medo de engordar, saiba que esse hábito está parcialmente equivocado. De acordo com nutricionistas, apenas beber água, suco, refrigerante ou outro líquido qualquer durante as refeições não faz mal, não engorda e nem aumenta a barriga, o que acontece é que o excesso de líquido misturado aos alimentos pode dilatar o estômago e provocar uma sensação de “inchaço abdominal”, o que acaba confundido a maioria das pessoas.
Mas, vale ressaltar que o ganho de peso pode vir de forma indireta, uma vez que ao ingerindo líquidos durante as refeições, o estômago dilata e manda uma mensagem ao cérebro avisando que ainda existem espaços vazios a serem preenchidos, então é comum que a pessoa não se sinta saciado e consuma mais alimentos do que normalmente seria necessário. E é esse aumento na quantidade de alimentos consumidos que ocasionará o ganho de peso e, consequentemente, poderá contribuir para o aumento da gordura abdominal.

Beber líquido na refeição engorda?

Além disso, deve-se considerar ainda que o maior prejuízo de se ingerir muito líquido durante as refeições atinge o processo natural de digestão, pois a concentração de ácido clorídrico que compõe o suco gástrico presente no estômago diminui e algumas enzimas são diluídas, prejudicando assim a digestão dos alimentos e podendo ocasionar indigestão, gases e flatulências. Pois é, o excesso de líquido poderá ainda diminuir a absorção de alguns nutrientes, pois os alimentos passam mais rapidamente pelo intestino, local onde ocorre a absorção.
Em todo caso, o consumo de líquido durante as refeições não faz mal, desde que seja dado preferência a água ou sucos de frutas naturais, evitando sempre os refrigerantes. O ideal é que não sejam ingeridos em grande quantidade durante as refeições, não ultrapassando a quantidade de um copo de 200ml, e beber água a vontade nos intervalos das refeições.

Máscara reconstrutora para cabelo


Cabelos secos, danificados, fracos e com frizz? As máscaras reconstrutoras podem ser a solução para todos esses problemas, além de dar mais brilho e maciez aos seus fios. A maioria dos produtos disponíveis no mercado são à base de queratina suficiente para repor tudo o que é perdido com as agressões químicas e físicas que os fios capilares sofrem diariamente.
Pois é, diariamente suas madeixas são agredidas, sem que você perceba ou sinta a real necessidade de tratá-las de uma forma mais eficaz. A ação do vento, do secador, da chapinha e até mesmo a maneira como é penteado, pode prejudicar os fios, fazendo com que os mesmos percam o brilho e leveza natural gradativamente.
De acordo com cabeleireiros, algumas marcas fazem a reconstrução dos fios e devolvem a maciez absoluta desde a primeira aplicação, mas é preciso seguir as recomendações de cada produto, a forma de uso e sempre que possível usar a linha completa de uma determinada marca, isto e, xampu, condicionar e a máscara.

Máscara reconstrutora para cabelo - Dicas

Em geral, a máscara reconstrutora é usada com os cabelos limpos e apenas úmidos, devendo ser aplicada no comprimento dos fios uniformemente. A dica é enluvar os fios mecha a mecha e aguardar o tempo necessário e expresso na embalagem do produto, além disso, antes de enxaguar emulsione com um pouco de água morna e só depois retire totalmente o produto. Conheça agora algumas das máscaras reconstrutoras mais procuradas e usadas nos cabeleireiros, algumas podem ser encontradas em lojas de produtos cosméticos, enquanto que outras são de uso profissional, para encontrá-las peça ajuda ao seu cabeleireiro.
Melhores máscaras reconstrutoras para os fios
- Absolut Repair L’Oréal
- Inter Restore Senscience
- Neustrasse Nouvelle
- Máscara Reconstrutora Hidratante da Elans
- Inter Resist Mix Use
- Revivor Itely
- Rigen da Alfaparf
- Rigenol Framesi
- Oil Creadio
- Super Nutri Ervas Naturais

Salário mínimo 2013 – Reajuste Bolsa Família 2013


O salário mínimo sofrerá um novo reajuste em 2013. De acordo com a proposta de orçamento federal para o próximo ano, entregue ao presidente do Senado, José Sarney, o salário básico das famílias brasileiras será de R$ 670,95, o que representa uma alta de 7,9% em relação ao valor base desse ano e também é maior que o previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias, que alcança a faixa dos R$ 667.
O aumento no salário mínimo está diretamente relacionado à previsão de crescimento do Produto Interno Bruto – PIB brasileiro de 4,5% em 2013, com um PIB nominal de R$ 4,973 trilhões, também previsto no orçamento federal.  No total, essa proposta de orçamento prevê um gasto de R$ 15 bilhões em novas desonerações a partir de Janeiro, que apesar de ainda não estarem “carimbadas”, fazem parte de programas que ainda vão ser anunciados pelo governo.
Pois é, em 2013, o governo prevê um gasto total de R$ 186,9 bilhões em investimentos, quase 9% a mais do que foi e está sendo investido este ano. Esse valor inclui os gastos com programas como o Bolsa Família e o Programa de Aceleração do Crescimento - PAC.

Salário família 2013

Só com o PAC, a previsão de investimentos é de R$ 52,245 bilhões em 2013, valor que inclui os gastos com o programa Minha Casa, Minha Vida, além de outros projetos de desenvolvimento,  mas não inclui o que será aplicado pelas estatais dentro do programa. Em relação aos gastos totais previstos para 2013, o valor ultrapassa a casa dos 2 trilhões. De acordo com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, algumas serão priorizadas, entre elas estão a saúde, educação, o programa Brasil sem Miséria e o PAC.
O ministro da Fazenda, Guido Mantega, diz ainda que devido ao crescimento do PIB, metas mais ousadas de desenvolvimento puderam ser traçadas e essa nova proposta de orçamento vai possibilitar ao governo uma forte geração de empregos, de renda e melhora no padrão de vida dos brasileiros.


Alimentos afrodisíacos


Os alimentos afrodisíacos são conhecidos por despertarem “poderes amorosos” em quem os consome, alguns recebem esse adjetivo apenas por causa de sua forma que possuem, outros por causa de seu aroma, ao passo que outros ainda alegam ter uma base química que explica tais efeitos. De fato, alguns desses alimentos possuem em suas composições nutrientes que auxiliam no bom desempenho sexual, mas outros apesar das crenças populares, não possuem nenhuma evidência científica. Conheça agora alguns desses alimentos e porque são considerados afrodisíacos.
Os frutos do mar, principalmente as ostras, são ricas em zinco, mineral que contribui para a formação do hormônio masculino testosterona, e por isso podem melhorar o desempenho do homem com a sua parceira. O chocolate também está presente nessa lista por possuir propriedades estimulantes, ao liberar uma substância chamada endorfina, que propicia uma sensação de bem estar. Já o amendoim, por ser rico em vitamina B3, contribui para vasodilatação sanguínea, o que aumenta a libido.

Alimentos afrodisíacos

O Catuaba, a cacau e o ginseng possuem uma substância chamada feniletilamina que é responsável pela sensação de prazer. Mas, alimentos como a pimenta, pimentões, curry e outros picantes, são ditos afrodisíacos, mas não possuem nada em sua composição que esteja envolvido com um aumento do desejo sexual. Por outro lado, seus efeitos fisiológicos – freqüência cardíaca elevada e sudorese – são similares às reações físicas experimentadas durante o sexo. Os aspargos, devido aos níveis de folato, vitamina B que aumenta os níveis sanguíneos de histamina, presentes em sua composição, ajudam a aumentar a excitação e nos tratamentos contra disfunção erétil. Já o café, aumenta a libido ao colaborar com a liberação de serotonina, enquanto que o gengibre, considerado um alimento afrodisíaco pelo poder  olfativo, estimula os sentidos pelo aroma, além de também ativar o sistema circulatório e aumenta o desejo sexual.


Tratamento para pele masculina oleosa


A pele masculina já é naturalmente mais oleosa e espessa por conta das elevadas taxas hormonais. Em geral, também possuem uma espessura aumentada e é mais resistente. No entanto, também pode ser caracterizada como seca, mista ou oleosa, sendo que nesse último caso, a mesma é caracterizada pela produção excessiva de óleo, que lhe confere maior brilho e provoca a abertura dos poros, principalmente na zona central – testa, raiz e queixo.
E, para mantê-la com a aparência sempre saudável, é necessário fazer uma limpeza diária para remover as células mortas, gordura e impurezas. De acordo com a orientação de dermatologistas, usar apenas água não é suficiente uma vez que a pele precisa ficar livre de toda a gordura que vai se acumulando no dia a dia. Assim, o ideal é usar um sabonete especifico para o rosto, elaborado com substâncias que não irritem nem ressequem a pele.

Tratamento pele masculina oleosa

A limpeza da pele deve ser feita duas vezes ao dia, preferencialmente pela manhã e pela noite. Além de todos os benefícios já citados, depois de estar livre de todas as impurezas, a pele fica pronta para receber o filtro solar e tratamentos antienvelhecimento ou quaisquer outros que precisam penetrar bem na pele.
Existem no mercado de cosméticos alguns produtos como géis, leites ou loções de limpeza sem óleo, que regulam a produção sebácea, podendo ser usados sem medo. Além disso, produtos que contenham muito álcool em sua composição, são contra-indicados, uma vez que aumentam ainda mais a oleosidade da pele.
Para se barbear, recomenda-se o uso de espumas apropriadas, pois o sabonete comum pode irritar a pele. Cremes pós-barba também são altamente indicados, principalmente os que têm princípios ativos que evitam irritações comuns, que dificultam ainda mais a limpeza da pele oleosa. Outra dica importante para evitar a irritação, é nunca fazer a barba no sentido oposto ao nascimento do pelo, pois encrava os folículos pilosos e irrita a pele.

Fundos de renda fixa – O que é, Como investir


Para você que está pensando em investir em um Fundo de renda fixa, mas só se informou sobre as taxas de rentabilidade e não sabe nada sobre o funcionamento desse tipo de investimento, quais são os seus riscos e benefícios, fique atento as informações que vamos dar agora e fique por dentro de detalhes importantíssimos.
Para começar, você deve saber que a base dos fundos de renda fixa são os títulos que pagam, em períodos definidos, uma certa quantia que é determinada no momento da aplicação ou no momento do resgate do capital investido.  Esses títulos são como uma espécie de empréstimo, assim, cada vez que você compra um título de renda fixa é como se você estivesse emprestando dinheiro ao emissor do título, que pode ser um banco, uma empresa ou o próprio governo. O rendimento da sua carteira é então proveniente dos juros que o emissor tem obrigação de pagar, calculado sobre o valor recebido.

Fundos de renda fixa - O que é, como investir

Os fundos de renda fixa podem ser públicos (Governo) ou privados (bancos e empresas privadas), ou ainda, pré-fixados e pós-fixados, quando se considera a sua rentabilidade. No Brasil, quem investe em um fundo de renda fixa público, está comprando um Título da dívida pública brasileira, ou seja, está emprestando dinheiro ao emissor do papel que normalmente é o governo, que por sua vez lhe pagará juros até a data de vencimento desse papel, quando ocorrerá o resgate do título.
Outros tipos de investimento em Renda Fixa incluem a Caderneta de Poupança, o Certificado de Depósito Bancário (CDB), as Letras de Câmbio, as Letras Hipotecárias e os Títulos Públicos (LTN, LFT ou NTN). Entre os principais benefícios de se investir em um fundo, destacam-se: segurança, rentabilidade, é mais conveniente na hora de investir, permite acesso a diversos ativos, mesmo com pouco dinheiro para investir, possui liquidez diária, os custos são baixos e é transparente.
Por outro lado, assim como todo investimento, os fundos possuem riscos de crédito, de liquidez e de mercado, que podem ou não estar presentes na sua aplicação. Para começar a investir, procure o gerente do seu banco e informe-se sobre as opções de fundos de renda fixa que eles trabalham.


Papada no pescoço – O que fazer, Tratamento


Apesar de as rugas ao redor dos olhos e as que aparecem em outras partes do rosto serem a maior preocupação das mulheres à medida que vão envelhecendo, poucas são as que se dão conta da flacidez que também é comum na região do pescoço, formando a temida “papada”.
O problema é ainda maior quando se percebe que o melhor remédio para a flacidez no pescoço é a prevenção, para isso vale a pena abusar dos alimentos com vitaminas A, C e E, bem como dos cremes que possuem as substâncias em sua composição. Essas vitaminas estimulam a renovação celular, são poderosos antioxidantes, além de ajudar no clareamento das machas do sol.

Papada no pescoço - O que fazer, tratamento

Mas, de acordo com especialistas, muitas vezes o problema é inevitável e aparecerá de qualquer maneira, principalmente se a origem estiver relacionada à carga genética, sol, falta de exercícios, alimentação, fumo, gravidez, obesidade e hormônios.
Assim, quando a prevenção já não adianta, a solução estará nos consultórios médicos que oferecem tratamentos especializados, como é o caso do Laser Fracionado, por exemplo. Altamente indicado para pele envelhecida pelo sol e idade, o laser de CO2 penetra profundamente na pele, desidratando-a e provocando uma inflamação controlada que, durante a cicatrização, se completará com a formação intensa de colágeno.
Para os casos mais avançados, em que há muitas sobras de pele e gordura localizada, a melhor saída será a redução gradual de peso e a cirurgia plástica. Um dos métodos mais eficientes é o Lifiting, mas antes do procedimento cirúrgico, deve-se abolir o cigarro e ter uma alimentação rica em vegetais e líquidos. A recuperação da pele e da cicatriz, que fica atrás das orelhas e próxima ao couro cabeludo, será feita com tratamentos complementares, para melhorar a qualidade da pele que voltará ao seu estado normal dentro de aproximadamente vinte dias.

Cirurgia corretiva de miopia – Preço, Como funciona


A cirurgia para correção da miopia é o sonho de muitas pessoas que apresentam o problema e desejam ter uma visão perfeita sem os óculos. Mas, médicos especialistas avisam que o procedimento não é uma solução simples para o problema e deve-se antes de qualquer coisa haver indicação para a correção com cirurgia. Assim como qualquer outro procedimento cirúrgico, a cirurgia refrativa personalizada, como é denominada, possui riscos e quem tem outro problema ocular, como o astigmatismo, pode acabar enxergando pior do que antes da operação.
Oftalmologistas esclarecem que a cirurgia é indicada para pessoas com mais de 21 anos e que possuam um grau de miopia, hipermetropia ou astigmatismo bastante estável, o olho seja saudável e a córnea apresente características que permitam a realização do procedimento.

Cirurgia corretiva de miopia - Sobre, preço

Apesar de já ser utilizada há bastante tempo, a técnica é moderna e utiliza um tipo especial de laser, chamado EXCIMER, que atua sobre a córnea para corrigir os diferentes erros de refração, seja da miopia, da hipermetropia ou do astimatismo. Especialistas explicam que a visão nítida é resultado da focalização das imagens na retina, a medida que passam através de estruturas do olho, transformam-se em impulso nervoso  e são transmitidas ao cérebro. Quando a imagem não é focalizada sobre a retina, a visão não é nítida, o que resulta em diferentes erros de refração.
Vale ressaltar que não é garantido que a visão fique perfeita após a cirurgia, alguns pacientes se queixam de ressecamento nos olhos, enquanto que em outros o grau de distorção voltou. Por isso, os médicos deixam claro que alguns pacientes podem desenvolver um pequeno grau mesmo depois da cirurgia, quando isso acontece, é necessário um retoque, ou seja, uma nova cirurgia para tratar esse possível grau que possa aparecer.
Em média, os preços da cirurgia de correção da miopia variam de R$1.500 a R$ 4.000 por olho. Alguns convênios cobrem a cirurgia, mas o grau de miopia do paciente deve ser entre 5 e 10 graus.


Vestido de noiva para gordinhas – Como escolher


O vestido da noiva é um dos detalhes mais observados nas cerimônias de casamento, devendo o mesmo está impecável e em perfeita harmonia com a noiva. Apesar de as revistas e catálogos com vestidos de noiva trazerem a maior parte da coleção em modelos magras e esbeltas, as noivas gordinhas também ficam bem em diversos modelos, basta escolher da forma correta, fugindo de pequenos detalhes que colocam em evidência o que deve ser disfarçado.
Pois é, a primeira dica para escolher um vestido para a noiva que está acima do peso é dar preferência àqueles com corte em formato de A, ou seja, são mais justos no peito e, a partir da cintura, se abrem levemente. Deve-se evitar sempre os vestidos com muito volume na saia. Os que possuem manguinhas são ainda mais perfeitos para as noivas gordinhas, principalmente para aquelas que não se sentem à vontade com os braços à mostra. Há ainda a opção de recorrer ao bolero, que não sai de moda, principalmente quando completa bem o vestido.

Vestido de noiva para gordinhas - Como escolher

Mas, se a noiva não abre mão de um decote, os vestidos de noiva com decote em V também são caem bem nas mais gordinhas, basta ter bom senso e não exagere no decote, dando preferência à alças largas. Mesmo se a noiva sonhar com um modelo tomara que caia, ainda assim é possível fazer uma boa escolha e ficar linda no casamento. Nesses modelos, a dica é colocar uma espécie de estola de tule transparente em cima do vestido de noiva, com um belo broche de lado, esse truque ajuda a esconder os braços e um pouco do colo, mas a transparência valoriza a beleza do tomara que caia.
Aqueles modelos que trazem um corselet justo, ajuda a definir a silhueta, disfarçando a barriguinha, mas por outro lado, deve ser evitado por quem tem quadris muito largos. É o caso de alguns modelos de princesa, que contam com sustentação interna perfeita para dar segurança aos movimentos, mas é preciso ter cuidado para não apertar demais, pois além de incomodar, pode fazer saltar os seios e as gordurinhas do braço.