PUBLICIDADE

quinta-feira, 21 de julho de 2011

15 de Julho, Dia do Homem: hora de pensar em mudança de hábitos para uma vida saudável

Nesta sexta-feira, 15 de julho, é comemorado no Brasil do Dia do Homem. E, em meio a tantas atividades, como é a agenda desse homem? Ele tem disponibilizado tempo para ele mesmo?
Acordar cedo; levar os filhos à escola; participar de reuniões no trabalho; ir para a academia; fazer aula de idiomas; ir ao supermercado; preparar o jantar…
Você deve estar pensando que essa é a rotina de uma mulher tipicamente moderna. Mas, e os homens de hoje, não fazem também tudo isso e um pouco mais?
Já foi o tempo em que a atividade masculina se resumia em trabalhar, trazer dinheiro para casa. Hoje, eles também cuidam das crianças, da louça depois do jantar e alguns até fazem o jantar!
Eles estão mais responsáveis pela criação dos filhos e dividem os trabalhos domésticos com a mulher moderna, que também trabalha fora.
Muitos aspectos da saúde no envelhecimento masculino estão estreitamente relacionados ao sistema hormonal. A deficiência de testosterona tem conseqüências sérias e contribui para o desenvolvimento de doenças.
Freqüentemente, essa deficiência não é detectada. Os homens são menos conscientes do que as mulheres quando se trata de saúde e vão ao médico com menos freqüência.
Suas reações podem ser medidas. No dia a dia, à medida que o ritmo de atividade aumenta, a respiração se acelera, a pressão arterial se eleva, a sudorese é maior. Numa situação dessas, se é feita a análise da urina, observa-se a produção elevada dos hormônios noradrenalina e adrenalina, que afetam a saúde masculina de forma especial.
Certo nível de estresse é importante para as grandes conquistas, para os sentimentos mais fortes. No entanto, se experimentado de forma negativa ou se as circunstâncias tensas persistem durante muito tempo, torna-se um risco à saúde.
O estresse pode se tornar um círculo vicioso, contribuindo para o progresso de estados depressivos, redução da libido, distúrbios de ereção e diversas outros problemas de saúde.
Fique atento!

Cuidados com as lentes de contato

Lentes de contatos são delicadas e precisam de cuidados para garantir um conforto e vida longa. Veja a baixo algumas dicas.
Para o bom uso de lentes, necessita-se de muitos cuidados que o usuário deve seguir à risca para não aparecerem complicações indesejáveis e perigosas para os olhos.
Antes de tudo, lave bem as mãos, jamais manuseie suas lentes de contato com as mãos sujas, isso pode contaminar ou até mesmo danificar. Evite prejuízo para sua saúde e seu bolso.
Lave as lentes com produtos específicos, aqueles que seu especialista indicar. Nunca lave com saliva ou água corrente.
Deixe seu estojo de lentes sempre limpo. Substitua-o regularmente.
Retire-as para aplicar maquiagem.
Proteja-as de substâncias químicas, abrasivas, gordurosas e etc… como cremes, aerossol e poeira.
Antes de colocar ou tirar suas lentes sobre a pia, veja se o ralo está tampado. É comum perder lentes acidentalmente.
Evite manusear suas lentes com objetos pontiagudos ou cortantes.
Ao tomar banho feche bem os olhos para evitar o contato com sabonete ou shampoo.
Siga as indicações do seu médico, incluindo instruções, tempo de substituição, tempos de uso. Isso é muito importante.

Uma boa noite de sono começa com a escolha e manutenção do colchão

Depois de um dia cansativo, tudo que precisamos é de uma boa noite de sono. Parece simples, mas nem sempre é fácil. Alguns cuidados são necessários, para começar do colchão.
Uma vez comprado o colchão que vai embalar os seus sonhos, é preciso cuidar dele para que a qualidade e conforto sejam duradouros. Cada tipo de colchão tem uma vida útil determinada - para espuma, a troca é recomendada em cinco anos, enquanto os modelos com molas devem ser trocados em um período que varia de 8 a 10 anos.
Entretanto, certos cuidados são necessários – sem eles, a vida útil prometida pelo fabricante pode ser reduzida drasticamente, adiantando a necessidade da troca.
Uma técnica simples ajuda a minimizar o desgaste natural do material – que causa posteriormente um afundamento desigual, tornando o colchão nocivo para a coluna. É o giro do colchão.
O giro do colchão é necessário para a maioria dos modelos de colchões disponíveis no mercado. Ele ajuda a compensar esse desgaste, e deve ser feito periodicamente.
Cada modelo apresenta um desgaste diferente, de acordo com o material utilizado em sua composição. Entretanto, não existe um consenso sobre a freqüência para cada modelo: independentemente do colchão, alguns vendedores especializados recomendam a seus clientes que façam o procedimento mensalmente, enquanto outros recomendam que se faça o procedimento de 15 em 15 dias durante os primeiros seis meses, prolongando o intervalo para três meses após este período.
Para fazer o giro do colchão mais eficiente, use o seguinte método: no primeiro mês, gire o colchão horizontalmente, invertendo o lado dos pés e da cabeça. No mês seguinte, repita o procedimento, mas desta vez virando a face do colchão que estava pra cima para o outro lado. Para que você não esqueça qual lado virou da última vez, uma dica: cole uma etiqueta adesiva ou fita crepe em uma das laterais do colchão, informando o mês e o lado que foi virado. Você nunca mais vai se confundir.
Se molhar com urina, coloque toalhas, papéis toalha ou jornais para absorver o líquido. Faça uma vaporização com uma mistura de água e vinagre e coloque para arejar sem presença de sol. No material entregue pelo fabricante, normalmente ele indica como devem ser feitas as limpezas. Proceda da mesma maneira, se for outros líquidos.
Quem tem alergia deve manter o quarto livre de poeira e ácaros é importante, abrindo as janelas para que o ar circule, evite tapetes e materiais que retenham poeira. Com isso a retenção no colchão também é muito menor.
Para eliminar bactérias, fungos e outros tipos de ácaros, recomenda-se que se pinte o quarto a cada ano.
Outras dicas para a conservação do seu colchão.
Existem outros cuidados úteis que podemos tomar para que o colchão dure mais tempo. Siga essas dicas e prolongue o seu bem-estar durante a noite de sono:
- Nunca dobre o colchão, e proíba as crianças de pularem sobre ele. Estes hábitos acabam com a estrutura do colchão, acelerando o desgaste e danificando a espuma ou mola, além de forçar o estrado;
- Nada de ficar comendo na cama, pode ser imperceptível, mas acaba deixando resíduos alimentares que podem atrair visitantes não convidados à sua cama;
- Utilize uma capa para proteger o seu colchão. Isso faz com que sua cobertura em tecido dure mais e protege o colchão do contato com o suor ou outras substâncias. Usar o plástico da embalagem não é uma opção, pois impede que o colchão respire e favorece a propagação de microorganismos;
- Evite encostar o colchão na parede, pois ele acaba absorvendo a umidade da parede e pode se deteriorar com maior facilidade;
- Conserte o estrado. Apoiar bons colchões em estrados danificados não é uma boa idéia, pois aumenta o desgaste que ocorre naturalmente, além de fazer mal à coluna. Certifique-se de que o seu colchão está apoiado em um estrado compatível. Colchões King e Queen size exigem estrados mais robustos, com suporte central resistente. Estrados mais frágeis se deformam com facilidade, comprometendo a durabilidade do colchão;
- Não apóie objetos pesados ou pontiagudos sobre a cama. Ferros de passar roupa, gavetas cheias ou pilhas de livros podem afundar o colchão;
- Ventile o colchão periodicamente, mesmo os modelos que incluem respiros ou tratamento antialérgico.
- Se ele rasgar ou apresentar deformações, significa que está na hora de aposentá-lo. Ou em breve sua coluna é que te mandará a conta.
Se você resolver aposentar seu colchão, existem empresas que fazem o recolhimento. Doação. Algumas instituições aceitam doações. Elas realizam uma avaliação das condições antes de disponibilizá-los para uso.
Nunca os jogue em terrenos baldios ou rios, afinal é um dos principais motivos de enchentes e prejuízos.
Cuide do seu colchão adequadamente e durma bem sempre!

Saia de férias com segurança, em relação à casa e aos seus dados pessoais

Quando chegam as férias é sempre bom pensar em descansar e relaxar com a família, porém, sabemos que por outro lado tem bandidos que esperam exatamente essa época para invadir casas e roubar.
A questão nos dias atuais não pára na perda de bens materiais, como informações pessoais. Afinal já imaginou ficar sem o seu PC ou notebook?
A desatenção aos detalhes da segurança da casa pode facilitar a ação de marginais
As férias escolares são sempre a oportunidade para a família realizar uma viagem. Contudo, de acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, é neste período que também aumentam as ocorrências de furtos a residências, principalmente, naquelas em que o morador se ausenta por um período de tempo mais prolongado.




Falta de atenção aos detalhes, como portas destrancadas ou janelas desprotegidas, pode facilitar a ação de bandidos especializados em invasão de casas.
Os marginais estão sempre à procura do furto mais fácil, por isso o segredo é tomar atitudes simples que dificultem tais ações.
  • Quanto menos pessoas souberem dos recursos de segurança disponíveis em sua residência, mais segura sua casa estará;
  • Não grave informações em sua secretária eletrônica, do tipo: “no momento não estou em casa”;
  • Nas casas térreas ou com janelas frontais deixe as cortinas e/ou persianas fechadas;
  • Instale grades de segurança nas janelas e luzes que permitam boa iluminação;
  • Instale trancas e fechaduras de segurança adicionais;
  • Evite deixar as chaves de todas as portas de acesso à sua residência com empregados ou na portaria do condomínio;
  • Suspenda a entrega de jornais e revistas;
  • Deixe itinerário e telefone com um parente ou vizinho de confiança;
  • Solicite que alguém recolha suas correspondências;
  • A utilização de cães treinados tem se mostrado um excelente recurso de segurança;
  • Procure contratar empresas idôneas para realizar serviços de manutenção em sua residência.
Além das dicas quanto à residência, temos outra preocupação, esta em relação ao notebook e sua vida virtual, confira a seguir algumas dicas para não voltar das férias com a cabeça mais “quente” ainda.
  1. Evite visitar páginas de internet banking e fazer compras online em cybercafés e computadores públicos em geral, pois eles geralmente possuem sistema de frágil, facilitando a vida de quem vive atrás de dados pessoais para realizar fraudes.
  2. Após usar cybercafés e computadores públicos, apague os arquivos temporários do navegador, o histórico de navegação e os cookies;
  3. Não se esqueça de fazer Logoff, no caso de usar sites como usuário registrado. De outro modo, o próximo usuário poderá acessar sua conta;
  4. Crie uma conta especial em um webmail gratuito para enviar mensagens de férias. Assim, se seus dados forem roubados, sua correspondência eletrônica não estará toda nas mãos de bandidos;
  5. Se usar hot spots Wi-Fi ou a rede de hotéis a partir de seu laptop, use soluções de segurança no seu computador com proteção antivírus e um potente firewall;
  6. Como uma alternativa às redes Wi-Fi gratuitas porém arriscadas, use um cartão UMTS (espécie de pré-pago que libera o uso de seu modem em redes de telecom estrangeiras). É mais caro, mas garante muito mais segurança;
  7. Especialmente para usuários de laptops: todos os dados importantes no HD devem ser criptografados antes do início da viagem. Faça também o backup.
Se for viajar ao exterior é sempre bom levar uma xerox autenticada dos documentos, assim se você por acaso for furtado você tem como ser identificado dos documentos, afinal é complicado estar num país onde você não domina o idioma e ficar sem documento algum, sem saber sequer o numero dos documentos. E, claro, não deixe essas cópias junto com o documento. Deixe na mala ou no hotel em que se hospedar.
Na era cibernética em que vivemos, são maiores as facilidades e paralelamente as preocupações.
Com pequenos cuidados, dá pra curtir as férias com tranqüilidade.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Como identificar sinais de dislexia nas crianças

Todo mundo já ouviu falar dela, mas nem todos sabem do que se trata. Alguns chegam a colocá-la como sinônimo de burrice, mas a famosa DISLEXIA nada mais é do que uma dificuldade na área da leitura, escrita e soletração. A dislexia costuma ser identificada nas salas de aula durante a alfabetização, sendo comum provocar uma defasagem inicial de aprendizado.
Os disléxicos apresentam dificuldades na associação do som à letra; também costumam trocar letras, por exemplo, b com d ou o f com v, ou mesmo escrever palavras na ordem inversa. A dislexia, entretanto, é um problema visual, envolvendo o processamento da escrita no cérebro, sendo comum também confundir a direita com a esquerda no sentido espacial.
A dislexia é o distúrbio do aprendizado mais freqüentemente identificado na sala de aula. Está relacionado, diretamente, à reprovação escolar, sendo causa de cerca de 15 % das reprovações.
Muitas vezes, os professores não estão preparados para identificar os primeiros sinais da dislexia, por isso, nós pais, temos que estar atentos, pois quanto antes detectada, mais cedo podemos ajudar a criança a superá-la.
Na pré-escola fique atento se a criança apresentar: Dispersão; Fraco desenvolvimento da atenção; Atraso no desenvolvimento da fala e da linguagem; Dificuldade em aprender rimar e canções; Fraco desenvolvimento da coordenação motora; Dificuldade com quebra cabeça.
Na idade escolar se a criança continua apresentando esses sintomas já citados e os que vem a seguir, é necessário um diagnóstico e acompanhamento adequado.

Sintomas:
  • Dificuldade na aquisição e automação de leitura e escrita;
  • Conhecimento fraco de rimas (sons iguais no final das palavras) e aliteração (sons iguais no início das palavras).
Já na fase de adulto, se não existiu uma acompanhamento na fase pré-escolar ou escolar, o adulto disléxico apresenta as seguintes dificuldades:
  • Memória prejudicada;
  • Dificuldade na leitura e escrita;
  • Dificuldade na aprendizagem de uma segunda língua;
  • Dificuldade em nomear objetos e pessoas;
  • Dificuldade com direita e esquerda;
  • Dificuldade em organização;
  • Aspectos afetivos emocionais prejudicados que leva a depressão, baixa autoestima, ansiedade e em alguns casos o ao uso de drogas e álcool.
A dislexia é mais comum do que se imagina. Alguns dos disléxicos mais famosos do mundo são: Leonardo da Vinci, Pablo Picasso, Charles Darwin, Walt Disney, Whoopi Goldberg e Tom Cruise, entre muitos outros.
Ao identificar em seu filho pequeno qualquer dificuldade de aprendizagem relacionada acima, procure o pediatra e, dependendo do caso, ele encaminhará a um médico de outra especialidade.

A importância dos umidificadores em nossa vida

Chega essa época do ano e começamos a pensar nos aparelhos guardados do inverno passado e que passam a ser lembrados nesse, em função da baixa umidade do ar, nas grandes cidades, já podemos visualizar facilmente o céu carregado de poluição. Dentre os equipamentos de inverno, um dos mais importantes é o umidificador de ar, principalmente para quem tem crianças e idosos em casa.
Se você não tem esse aparelho ainda, acredite todo investimento feito para a compra de um bom umidificador de ar vale a pena, pois o dinheiro que você pode economizar não comprando o umidificador vai acabar gastando depois com consultas médicas e remédios.
Tenho certeza que você já ouviu falar de uma maneira caseira de fazê-lo nessa época, como colocar uma bacia de água ao lado da cama ou pendurar toalhas molhadas nos quartos. No entanto, a maneira mais eficiente e menos atrapalhada (afinal, como não temos esse hábito, acabamos literalmente enfiando o pé na bacia, no meio da noite) são os umidificadores elétricos.
A principal vantagem do umidificador elétrico em relação aos umidificadores caseiros é que rapidamente eles conseguem produzir uma coluna de vapor d’água que eleva a umidade do ar em até 40% ou mais. Em instantes você percebe o conforto respiratório.
Porque isso acontece? Fácil, esses umidificadores, geralmente, ultra-sônicos quebram a molécula de água por um processo vibratório gerando grande quantidade de valor de água. Na hora de comprar, procure um modelo que possua um controle de umidade, e não aqueles só com botão liga/desliga, que custam mais baratos, mas que te limite possibilidades.
Confira também se o umidificador que você pretende comprar tem capacidade de umidificar sem precisar colocar mais água por no mínimo a mesma quantidade de horas que tem a duração do seu sono.
Lembrando que um umidificador portátil ou de pequeno porte é suficiente para umidificar um único ambiente da sua casa, não conseguindo sozinho fazê-lo em toda casa. Assim, o ideal é ter um para cada quarto da casa.
A baixa umidade pode provocar os seguintes efeitos nos seres humanos:
Resseca nossa pele e mucosas - se sua casa tem pouca umidade, você ficará com os lábios rachados, queixo ressecado e com coceira e garganta seca pela manhã, ao acordar (a baixa umidade resseca inclusive plantas e móveis);
Aumenta a eletricidade estática - a maioria das pessoas não gosta de tomar choquinhos cada vez que toca algo metálico;
Confira a seguir como funcionam algumas opções para umidificar o ar de sua casa.

Vapor – Conhecido como “vaporizador”, um umidificador a vapor ferve água e joga vapor na sala. Por ser uma tecnologia mais simples, é mais barata. Outra vantagem dessa tecnologia é que você pode utilizá-lo para fazer inalação com medicamentos para reduzir a tosse.

Impulsor –
O disco de rotação lança água em um difusor em forma de pente. O difusor transforma a água em pequenas gotas que flutuam no ar. Essas gotinhas parecem neblina saindo do umidificador.

Ultra-sônico – Esse umidificador usa um diafragma de metal que vibra em freqüência ultra-sônica, para criar gotinhas d água. É silencioso e também produz uma neblina fria.
Se quiser monitorar a umidade de sua casa, um higrômetro pode fazer isso para você. Você pode se surpreender ao perceber como é baixa essa umidade.
Bem, a dica foi dada, independente de qual for a sua escolha, é importante cuidar do ar que você respira, a sua saúde agradece.


Banho de balde para os bebês – é melhor do que o de banheira?

Essa é a nova moda entre as mamães mais “descoladas” – substituir a banheira pelo balde na hora de dar banho no bebê. Mas quais são as vantagens, os benefícios desta troca?
Os especialistas afirmam que o contato com a água faz os bebês se lembrarem do ambiente uterino (que era quente, escuro, seguro), mas ao perceberem que estão num ambiente claro e aberto, ficam tensos e tendem a “protestar” contra o banho. Que mãe nunca presenciou o choro do bebê logo ao colocá-lo na água do banho? Observando isso, pediatras e parteiros holandeses criaram, em 1997, um baldinho que minimizasse o trauma do bebê com a experiência do banho e as “memórias” do útero.
Assim surgiu o banho de balde, que, para os pequeninos (até 6 meses de idade) funciona como um mini-ofurô, em que ficam em posição fetal e podem relaxar mais facilmente.
O balde simula o útero materno e diminui o desconforto do bebê na hora do banho. Obviamente, antes de optar pelo banho de balde, é fundamental consultar o pediatra.
Há modelos no mercado já próprios para o uso – são feitos com material atóxico, possuem base antiderrapante e são um pouco maiores do que o tamanho normal. Mas as mães podem optar por um balde comum, tomando os devidos cuidados de higienização.
A temperatura da água será sempre aquela que você usaria na banheira – morna, e o segredo é testá-la na parte de dentro do seu braço, onde a pele é tão sensível quanto a pele dos bebês.
E como deve ser o banho de balde?
  1. O primeiro cuidado é limpar o bebê como se faz quando se troca a fralda, com algodão ou lenço umedecido.
  2. Para colocar o bebê no balde, é importante criar um apoio para o corpinho dele. Encaixe uma das mãos entre as pernas do bebê e com a outra apoie a cabecinha dele, colocando-o no balde. O movimento natural é que o bebê se sente encaixado no balde.
  3. O nível da água deve estar no máximo até o ombro do bebê e a temperatura, morna.
  4. Suas mãos devem sustentar a cabeça do bebê o tempo todo. Jamais deixe o bebê sozinho no balde, mesmo quando ele já sustentar a cabeça sem apoio.
  5. Aproveite este momento! Muitas mães gostam de aproveitar esse momento do banho de balde para fazer massagens relaxantes no bebê.
Dicas importantes:
  • O bebê pode chorar no primeiro banho, mas se a mãe demonstra segurança, ele também se sentirá seguro. Quanto mais cedo o bebê começar a tomar banho de balde, melhor para a adaptação.
  • O relaxamento desse banho de imersão comprovadamente diminui as cólicas no bebê – massagens como a shantala podem ajudar bastante nesse aspecto.
  • O melhor horário para o banho de imersão é à noite, para que o bebê se acostume a tomar banho, mamar e dormir, criando uma rotina que beneficiará a toda a família. Há muitos relatos de bebês que, inclusive, dormem durante o banho, de tão relaxados que ficam!