PUBLICIDADE

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Ferro, importante mineral para combater a anemia




Quem aqui não conhece alguém que teve ou tem essa doença, apesar de comum, a anemia? Ela é definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a condição na qual o conteúdo de hemoglobina no sangue está abaixo do normal como resultado da carência de um ou mais nutrientes essenciais, seja qual for a causa dessa deficiência.  Estima-se que 90% das anemias sejam causadas por carência de ferro.
Trata-se de uma deficiência nutricional grave que afeta grande parcela da população mundial de praticamente todos os níveis sociais.
Sabia que o ferro é um nutriente essencial para a vida e atua principalmente na síntese (fabricação) das células vermelhas do sangue e no transporte do oxigênio para todas as células do corpo?
Existem basicamente três tipos de ferro em nossa alimentação: o ferro de origem animal, o ferro presente em vegetais e o ferro presente em panelas de ferro, que têm sua importância.

 O ferro de origem animal é encontrada em abundância nas carnes vermelhas. Este tipo de ferro é o melhor absorvido pelo organismo.
São melhores fontes de ferro de origem animal principalmente o fígado, rim e outras vísceras de carnes vermelhas, carnes de aves e de peixes, mariscos e em menor concentração na gema de ovos. Leite não é boa fonte de ferroa, a não ser os leites propriamente enriquecidos com ferro.
Já o ferro de origem animal pode ser encontrado em vegetais folhosos escuros tipo, agrião, couve, espinafre*, rúcula, salsinha (salsa), nozes, pistache, castanhas, semente de abóbora, gérmen de trigo e farelo de trigo, açaí, frutas secas, lentilha, grão de bico e feijões, melado de cana, rapadura, açúcar mascavo e demerara e beterraba**.


* Embora o espinafre seja rico em ferro, ele também é rico em oxalato. Substância, esta, que inibe a absorção do ferro do espinafre pelo organismo.

** A beterraba contém pouco ferro em sua composição (cerca de 0,8 mg em 100 g), mas, como a beterraba é rica em folato e em vitamina C (4,9 mg), fator que auxilia a absorção de ferro da beterraba pelo organismo, pode-se dizer que ela é uma boa fonte de ferro.
Alguns médicos recomendam que as mães façam comida para seus filhos anêmicos em panelas de ferro. Isso realmente é válido para aumentar o teor de ferro da comida.
O ferro, sobretudo o contido em vegetais, é melhor absorvido em presença da vitamina C. Por isso, beber sucos ricos em vitamina C ou mesmo espremer um pouco de limão na comida aumenta e muito a absorção de ferro contido em vegetais como o feijão, por exemplo. Pois a vitamina C converte o Ferro ‘não heme’ em ferro heme.
Da mesma forma que ingerir leite durante a alimentação não é recomendado, pois o cálcio impede a absorção do ferro pelo organismo.
Agora se a ingestão de ferro for excessiva, segundo especialistas, pode ser tóxica, sobretudo quando há um uso exagerado na sua forma medicamentosa. A ingestão excessiva de Ferro dos alimentos raramente chega à toxicidade. As necessidades diárias de Ferro, variam conforme a idade, o sexo e a fase fisiológica da vida de cada indivíduo.
Os homens adultos necessitam de 10 mg/dia, as mulheres adultas requerem 15 mg/dia, gestantes requerem 30 mg/diárias, e nutrientes de 16 a 19 mg/dia. As necessidades de crianças variam de 6 a 12 mg/dia, conforme as recomendações dietéticas internacionais.
Recomendações simples, para se ter uma dieta equilibrado desse mineral:
  • Procure incluir algum tipo de carne, peixe ou ave no almoço e no jantar, juntamente com alimentos que contenham ferro de origem vegetal;
  • Adicione fontes de vitamina C nas refeições: hortaliças de cor verde, frutas cítricas, na forma de suco ou sobremesa, use o limão para temperar a salada, principalmente nas refeições que contiverem quantidade significativa de ferro de origem vegetal;
  • Procure consumir os sucos, frutas e saladas logo após o preparo para não perder o conteúdo vitamínico;
  • Evitar o consumo de chá preto ou mate e café durante ou logo após as refeições;
  • Escolher quando possível alimentos fortificados com ferro.

Alimentos que fortalecem o organismo para a gripe não te pegar




Nessa época ficamos mais propensos a pegar uma gripe, que acaba nos derrubando e botando de cama.
A princípio, a gripe se parece com um resfriado comum, com congestão nasal, coriza, espirros e dor de garganta. A diferença é que resfriados normalmente se desenvolvem lentamente, e a gripe tende a começar repentinamente. O resfriado causa apenas um mal-estar, já a gripe, causa sintomas bem piores e a pessoa se sente de fato muito mal.
Alguns sintomas da gripe são: febre com temperatura superior a 38°C em adultos. Em crianças, a febre pode ser alta, com temperaturas de 39,5°C a 40,5°C; tosse seca; dores musculares, especialmente nas costas, braços e pernas; fadiga e fraqueza; suor e calafrios; dores de cabeça; congestão nasal; perda de apetite; diarréia e vômito em crianças.
Temos as vacinas de gripe, que previnem contra as gripes, porém além da imunização através desse recurso, podemos nos valer e prevenir a doença através de alimentos e alguns cuidados.


Fracione sua alimentação, com cinco a seis refeições ao dia e a presença de todos os grupos alimentares, isso não só protege o sistema imunológico contra gripes e outras infecções, como também auxilia na manutenção do peso ideal e na qualidade de vida em geral.
Os alimentos indicados para essa função são os vegetais e frutas que apresentam cores vivas e fortes, tais como: abóbora, abacate, acelga, brócolis, alfafa, caju, cenoura, espinafre, escarola, mamão, manga e fígado.
O principal papel do zinco no organismo é fortalecer o sistema imunológico. O zinco é importante tanto para a síntese de células imunológicas como em sua ação de defesa contra vírus, bactérias e fungos. Um estudo feito com mais de mil pessoas afirma que a administração de zinco até um dia depois do início dos sintomas do resfriado acelera a recuperação dos pacientes, e que o mineral também é capaz de encobrir os vírus do resfriado e impedi-los de entrar no organismo por meio da mucosa do nariz. São fontes de Zinco: ostras, oleaginosas, como nozes e castanhas, semente de abóbora, todos os tipos de carne e alimentos integrais.
O consumo de flavonóides (substâncias que possuem ação antioxidante e antiinflamatória), auxilia na recuperação dos pacientes em estados gripais. Eles são encontrados em alguns vegetais e frutas secas, no chá verde, no vinho tinto, sucos de uva e laranja, cebola, tomate e até no chocolate, preferencialmente no tipo amargo.

 Estudos mais recentes apontam que a Vitamina C não cura a gripe, mas é um importante remédio para prevenir e ainda ajuda a amenizar os sintomas. Os alimentos mais ricos nesse nutriente são: Acerola, Caju, limão e laranja, nessa ordem.
Não passe horas sem se alimentar, porque o organismo passa a trabalhar em estado de alerta, priorizando a manutenção das funções vitais; e, com isso, o organismo combate a infecção como uma coisa secundária.
Uma boa hidratação pode prevenir a ocorrência de infecções, então beba pelo menos dois litros de água diariamente para promover uma boa hidratação das mucosas e do organismo.
Evite aglomerações e ambientes ou salas fechadas, assim você diminui as chances de inalar micro-organismos indesejados. O contato com um número grande de micro-organismos exigirá uma resposta imunológica maior da mucosa para impedir que eles penetrem e sejam combatidos.
Respire pelo nariz, pois muitas pessoas respiram pela boca, ficando mais expostas a doenças como a gripe. O nariz apresenta uma capacidade maior de umidificar e aquecer o ar, permitindo que a temperatura e a umidade do ar nos pulmões sejam quase constantes, evitando um maior risco de infecções.
Lave sempre as mãos antes de manusear alimentos, levá-las a boca ou aos olhos e sempre que chegar em casa ou no trabalho, depois de dirigir ou usar transporte público.
Evite mudanças bruscas de temperatura, o frio pode desencadear uma resposta na mucosa, que por meio de estímulos nos receptores nervosos de temperatura ou pela liberação de substâncias alergênicas, como a histamina, poderia provocar espirros, aumento na secreção da mucosa e prurido nasal. Isso vale também para alimentos e bebidas geladas, afinal nossa mucosa reage para manter a temperatura estável.



Dicas e segredinhos pra todo mundo ser expert na cozinha

Cozinhar é um prazer para muitos de nós – é terapêutico para uns, o momento de criação e arte para outros, a oportunidade de reunir amigos e a família.
Para muita gente, a cozinha é o melhor cômodo da casa, é onde o pessoal se junta para bater papo e saborear pratos deliciosos, feitos com carinho e dedicação.
Neste post de hoje, vamos dividir com vocês alguns segredinhos que fazem toda a diferença numa cozinha. Você sabe: um expert de cozinha tem seus truques! E às vezes são coisas tão simples que a gente até se espanta. Mas não se surpreenda mais: cozinha tem que ser mesmo algo descomplicado para dar ainda mais prazer!
Para que as batatas fritas fiquem bem sequinhas, depois de cortadas, coloque-as em água fervendo por alguns minutinhos e, em seguida, em água com gelo. Escorra bem, frite em bastante óleo e escorra em papel-toalha.
Quando o purê fica muito aguado, basta salpicar a mistura com um pouco de leite em pó.
Antes de fritar a banana, passe-a em farinha de trigo. Assim ela não fica encharcada na gordura.
Para que o bolo não grude no prato em que vai ser desenformado, polvilhe o prato com açúcar de confeiteiro.
Para fazer um ovo frito perfeito, você deve untar a frigideira com azeite ou manteiga e colocar o ovo. Tampe e cozinhe em fogo moderado até o ponto desejado. Tempere e sirva.
Iogurte com cebola ralada é uma mistura muito gostosa para se colocar sobre batatas assadas.
Para empanar pedaços de frango sem fazer sujeira, coloque a farinha dentro de um saco plástico. Junte os pedaços de frango e chacoalhe até misturar bem.
Se o molho de carne ficar sem cor, acrescente duas colheres (chá) de café solúvel.
Guarde as azeitonas na geladeira cobertas com água filtrada, sal e um pouco de azeite. Assim elas não ficarão rançosas.
A polenta frita fica mais macia e com uma crosta crocante se você passar na farinha de trigo antes de fritar.
A macarronada ficará mais saborosa se você misturar um pouco de pimenta-do-reino ao queijo ralado.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Dicas para fazer ovos de páscoa caseiros

Chega essa época e começamos a fazer a interminável lista de ovos que temos que comprar para presentear os professores de nossos filhos, porteiros, amigos do trabalho enfim, todos que de alguma forma são importantes para a engrenagem de nossa vida trabalhar bem.
A questão é que a cada ano esses ovos industriais estão cada vez mais caros, inviabilizando o processo, e ninguém aqui quer ficar endividado por conta de ovos de páscoa(pelo menos eu acho que não). Daí a solução ou é diminuir a lista e comprar o que se pode ou fazer em casa os ovos, que representa uma economia considerável. Se você tem alguma habilidade na cozinha acho que vale a pena tentar.
Receita para um ovo de 500gr

Ingredientes
  • 250g chocolate ao leite
  • 250g chocolate meio amargo
  • Forma para ovos de páscoa de 500g
  • Pão duro de borracha e/ou colher de pau
  • Tigela de vidro
Modo de fazer 

1- Coloque a forma para ovo de Páscoa vazia, na geladeira para que fique geladinha.
2- Pique os chocolates com faca grande e coloque no microondas por 30 segundos, mexa e se precisar coloque por mais 30 segundos.(Se ele empelotar é porque ‘queimou’ e não há como recuperar. Se não estiver segura para fazer no micro ondas, derreta o chocolate em banho maria, só tome cuidado para não deixar o vapor ou qualquer tipo de pingo entrar em contato com o chocolate.
O chocolate derretido deve ficar brilhante, não pode passar disso. Mexa bem para derreter totalmente. Se precisar voltar ao forno, coloque só 20 segundos.
3- Molhe as mãos na água gelada, seque-as e coloque o chocolate derretido na forma para ovo de páscoa que estava na geladeira, vá virando para ocupar todo o espaço da forma. Coloque bastante e depois vire para que o excesso escorra. Deixe na geladeira (lá na parte de baixo) por 5 minutos com o ovo virado para baixo em uma assadeira forrada com papel alumínio ou papel manteiga. Esse procedimento fará com que o excesso de chocolate escorra .
4-Retire da geladeira e faça a outra camada do ovo, repita o processo acima.
5-Quando notar que a forma do ovo estiver esbranquiçada desenforme. Espere 15 minutos e embrulhe com as mãos limpas e geladas. Esse processo evita que o ovo “transpire” dentro da embalagem

Dicas importantes:

Quem faz pela primeira vez deve usar a mistura com chocolate amargo, para facilitar o trabalho; Misture chocolate ao leite e meio amargo, isso permite maior facilidade ao trabalhar e menos risco de derreter, pois o meio amargo é mais firme.
Mantenha as mãos frias, especialmente ao embalar
A forma ‘geladinha’ vai deixar seu ovo brilhando
Para ovos de chocolate branco o tempo de derretimento é maior, aproximadamente 45 segundos.
Para rechear com trufa, brigadeiro ou outro recheio, recheie antes da segunda camada tomando o cuidado de não rechear até a borda para que a segunda camada de chocolate “cole” lá na borda, só então despeje a 2° camada.
Para tanto alguns cuidados são necessários, afinal estaremos manipulando um ingrediente muito sensível ao calor e à umidade.
Tente fazê-los em horários de pouco sol e manter um recipiente com água gelada para resfriar as mãos de tempos em tempos, senão a casca dos ovos fica com marcas de dedos.
Mantenha o ar condicionado ligado – se você tiver um – é imprescindível, um ventilador ajuda, mas não vire-o na direção do chocolate.

 Se quiser ganhar um dinheiro nessa época e vendê-los, basta somar todo o valor gasto, inclusive com energia do microondas, acrescente 20% devido a sua mão de obra e lucro final.
Daí utilize o mesmo processo e faça bombons, mini ovos e coelhinhos para aumentar seu leque de produtos de Páscoa. Acreditem dá pra ganhar um bom dinheiro. Se ainda não está tão segura a respeito de fazer ovos, uma boa cascata de chocolate no domingo de Páscoa também agrada bastante, afinal só o fato de estar aliado a frutas, já pesa menos na consciência.

Forma prática e rápida de tirar manchas


Ah! Manchou a roupa? Esfrega daqui, escova dali e, nada! Calma, porque há truques simples que ajudam, e muito, a sua roupa de sair não virar pijama.
As dicas são para eliminar graxa, sangue, mofo, vinho, gordura, chiclete grudado, suor e até ferrugem. Além de água e sabão em pó, você vai precisar de: sabonete branco, talco, gelo, sal, água morna, limão verde, água oxigenada e até ferro de passar. Mas este arsenal não é para ser usado sem critérios. Cada um destes produtos tem um objetivo específico.

Ferrugem
Antes que a ferrugem faça um buraco em sua roupa, providencie sal e limão verde. “Tem que ser o verde para o sumo não manchar a roupa”, explica Inis.
O truque é misturar um pouco do sumo do limão com o sal e passar sobre a ferrugem. Coloque a roupa em um local que tenha sol. Para tirar a mancha mais rápido ainda, Inis diz que coloca um pano branco sobre a roupa que recebeu a mistura e passa ferro quente. “A ferrugem sai na hora”, conta. Assim que a mancha sair, lave a roupa normalmente.

Gordura
Lave a roupa na hora usando sabonete branco.
Outra dica é Usar talco comum sobre a gordura e deixe agir por algum tempo, até que o talco absorva a mancha. Lave em seguida.

Suor
Manchas amareladas de suor podem ser retiradas com sumo de limão. Coloque sobre a blusa seca e deixe por um tempo. Depois, coloque-a de molho.

Roupas Claras
Para que as roupas brancas fiquem bem clarinhas, é só colocar uma tampa de álcool de cozinha na água com sabão em pó e deixar de molho. “Só que tem uma coisa. Não adianta deixar a roupa de molho de um dia para o outro, porque o sabão em pó perde o efeito dele depois de três horas”.

Graxa
Lembra que sugerimos usar sabonete branco para tirar gordura, ele também serve para retirar graxa.

Sangue
Mancha de sangue se não for limpa na hora, fica mais complicado para limpar. Uma forma interessante é tirar a mancha com água oxigenada de 10 volumes.

Tapete e Carpete
Use vinagre de maçã diluído em água. “Limpa tudo”.

Chiclete
Tem que ter paciência pra retirar o chiclete. Use gelo no local, mas o melhor é se você colocar a roupa em uma sacola e deixar por um tempo no congelador. O chiclete vai ficar duro e você conseguirá retirá-lo.

Mofo
Basta lavar normalmente. Se a roupa for branca, coloque a roupa com sabão no sol para ajudar a clarear.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Como manter a cerveja fresca por mais tempo

Ao contrário de bebidas como o vinho e o uísque e outras que ficam mais saborosas quando armazenadas por anos, a cerveja  desenvolve um sabor desagradável com o tempo. A explicação para isso foi descoberta recentemente por pesquisadores da Associação Americana de Química, que após analisar uma grande variedade de cervejas comerciais antes e após o armazenamento, identificaram 56 substâncias responsáveis pelo amargor das cervejas, dentre as quais cinco parecem contribuir diretamente para o sabor azedo que surge após o envelhecimento.
Os resultados da pesquisa irão beneficiar fabricantes e consumidores, que aprenderão ao conservar a cerveja fresca  por mais tempo. O responsável pelo estudo publicado no periódico científico Journal of Agricultural and Food Chemistry, Thomas Hofmann, afirma que após alguns anos a cerveja pode desenvolver um sabor ruim. Outros especialistas no assunto confirmam a idéia, mas estimam que sejam necessários de seis a doze meses de estocagem para que a cerveja adquira um gosto azedo. De forma mais específica, foi observado que a química presente no lúpulo da cerveja se decompõe com o tempo e forma outros compostos que resultam nesse gosto ruim.
Para tentar corrigir essa decomposição e evitar possíveis perdas, o estudo propõem as fabricantes de cerveja a realização de um ajuste no nível de acidez, através do pH, no momento da produção. Para os consumidores não há risco, uma vez que a cerveja é um produto de consumo rápido, e geralmente não são estocadas por muito tempo. Em todo caso, outra forma de manter a cerveja sempre fresca é armazená-la na temperatura mais baixa possível, assim o sabor será preservado.
Com a descoberta das substâncias responsáveis pelo sabor amargo da cerveja, novas fórmulas poderão ser desenvolvidas, alterando o pH e a concentração de tais substâncias para aprimorar o sabor original do produto e melhorar de forma significativa a durabilidade da mesma.

Como conservar ovos de páscoa

A Páscoa é a época em que há maior produção e consumo de chocolate em todo o país tanto de forma artesanal quanto industrial. Mas, o que muita gente não sabe é que é preciso ter bastante cuidado e atenção na hora de armazenar, no caso do consumidor final, e de estocar, no caso de comerciantes que revendem o produto, para conservar os ovos de páscoa adequadamente. Além disso, geralmente não consumimos um ovo de páscoa inteiro em um dia só, sendo necessário guardá-los em outro lugar o que pode alterar significativamente a qualidade e o sabor do chocolate.
De acordo com médicos e nutricionistas, o ideal é que sejam consumidos no máximo 30 g de chocolate por dia, uma vez que o excesso de chocolate pode causar alergias, diarréia, irritações gástricas, vômitos, enfim um mal estar desagradável. Pois é, mas guardar o ovo de páscoa na geladeira sem o mínimo de cuidado e atenção também não é uma boa idéia, e certamente dará um gosto menos saboroso ao chocolate.
Para a melhor conservação de ovos de páscoa já manuseados, a temperatura ideal deve estar entre 20 C e 25 C. Em temperaturas mais altas pode ocorrer o amolecimento e a perda do brilho do chocolate, já sob temperaturas mais baixas tais problemas podem ser evitados, entretanto é comum ocorrer condensação de umidade na superfície, e observarmos uma camada rugosa e irregular de cor acinzentada em sua superfície.
Assim, a dica  é comer o seu ovo de páscoa aos pouquinhos para evitar todos os problemas causados pelo consumo excessivo de chocolate, na hora de guardá-lo deve ser observado o tempo de armazenamento recomendado pelo fabricante na embalagem e nada de colocá-lo na geladeira. Embale-o em papel-alumínio ou em papel-filme, conserve-o a temperatura ambiente e não deixe próximo de alimentos que tenham um cheiro muito forte.

sábado, 9 de abril de 2011

Advogado grátis online

Como conseguir um advogado grátis – Não são todos que possuem condições de pagar os honorários de um advogado, mas mesmo assim precisam de uma assistência para resolver problemas que envolvem a justiça.  Algumas empresas de advocacia proporcionam atendimento a quem precisar pela internet, esclarecendo dúvidas sobre o cumprimento de leis trabalhistas, dos direitos do consumidor e muitas outras. Nesses casos, após a consulta, para contratar os serviços desses profissionais e continuar sendo acompanhado judicialmente é necessário pagar, sendo assim, não é muito válido, uma vez que será necessário fazer uma nova busca, dessa vez em um órgão público e solicitar o auxílio de um defensor público.
A Defensoria Pública oferece o serviço de assessoria jurídica integral e gratuita para todos os tipos de ações judiciais, destinado a todas as pessoas que não podem custear um advogado sem prejudicar suas condições de sustento próprias, esse é um direito de todo cidadão e dever do estado. O Defensor irá analisar o seu caso e verificar a melhor forma de enquadrá-lo na lei, ou seja, em qual causa a sua pendência será encaixada.
Para solicitar a assistência de um defensor público, basta comparecer ao fórum da sua cidade e oficializar o pedido e um profissional formado em Direito será indicado para solucionar o seu caso. Em geral, o defensor irá fazer algumas perguntas ao solicitante sobre sua renda familiar, gastos mensais e patrimônio, isso não fará com que a pessoa perca o direito a assistência, porém, uma ordem de prioridade é estabelecida e, caso a pessoa seja identificada como tendo condições de pagar um advogado particular, o processo será mais demorado, em virtude do número de pessoas carentes que não têm condições e que precisam do serviço.
Para fazer consultas, tirar dúvidas ou simplesmente pedir uma opinião, mande um email para o endereço jurídico@afrac.com.br ou acesse endereço abaixo. Para solicitar os serviços de um advogado gratuito, compareça ao fórum da sua cidade.
Faça agora uma busca de advogado grátis online , visite o site: www.escritorioonline.com/advogados/buscador.asp

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Você conhece a limpeza ecológica?

A prateleira do supermercado está repleta de produtos de limpeza. Limpa-vidros, removedor, detergente, saponáceo, álcool, lustra-móveis… ufa. São muitas opções! Mas poucas são realmente biodegradáveis.
Além disso, não são raras as alergias e coceiras decorrentes dos ativos de produtos de limpeza.
Mas dá para substituir boa parte desses produtos por coisas que geralmente temos em casa e ainda ficar com tudo limpinho e cheirosinho, sem acabar com as mãos. Confira as dicas a seguir.
Nós destacamos o limão como um grande aliado, ecologicamente correto, para a limpeza do seu lar…
Enquanto a maioria dos produtos de limpeza possui na sua composição elementos que prejudicam a natureza, a limpeza verde utiliza recursos renováveis para manter a casa e a natureza livre de poluição.
  • Limpar Tudo: Solução de 4 colheres de sopa de bicarbonato de sódio em um litro de água morna. Adicione uma colher de sopa de vinagre branco, ou suco de limão, para dissolver a gordura.
  • Desentupir pia: Jogue no ralo um punhado de bicarbonato de sódio, algumas colheres de vinagre branco e água fervente.
  • Limpar forno: Misture bicarbonato de sódio, sal, água quente e vinagre, e passe com esponja. Remova com um pano.
  • Limpar vidro: Passe uma solução com água e vinagre e depois use jornal para dar brilho.
  • Desodorizante de ambiente: 4 colheres de sopa de vinagre num pratinho colocado sob um móvel. As plantas também funcionam como ótimos purificadores do ar.
  • Para encerar: Misturar uma parte de óleo vegetal, como a linhaça, com outra parte de suco de limão ou vinagre e aplique com uma flanela.
  • Para limpar carpete: Fazer uma solução de água com vinagre branco.
  • Para lustrar móveis: Fazer uma solução de uma parte de suco de limão e duas partes de óleo vegetal. Dê brilho com uma flanela.
  • Desinfetante sanitário: Misturar bicarbonato de sódio com vinagre.
  • Limpar prata: Mergulhar o objeto em um recipiente com água morna, uma colher de chá de bicarbonato de sódio e uma colher de sal. Dê brilho com um pano macio.
  • Limpar cobre: Esfregar uma mistura de limão e sal, lavar e secar com um pano bem limpo.
  • Limpar bronze: O suco de limão clareia qualquer peça de bronze, que deve ser enxaguada em seguida.
  • Limpar objetos dourados: Utilizar, esfregando, limão ou uma mistura de água e vinagre em partes iguais.
  • Limpar objetos de latão: Polir as peças com molho inglês e, para conservar o brilho, esfregar azeite de oliva.
  • Limpar fórmica: Para tirar mancha de tinta esferográfica e deixar a fórmica limpa, esfregar com álcool ou com uma solução de água com vinagre.
  • Espantar moscas e mosquitos: Folhas de louro, eucalipto e manjericão, maceradas em água ou espalhadas pelo ambiente.
  • Evitar traças: Usar cânfora, em vez de naftalina. É tão eficiente e menos tóxica.
  • Afastar pulgas: Lavar os animais de estimação com água e sabonete (de preferência, feito com óleo de neem, que possui uma ação repelente sem ser tóxica). Enxugar. Aplicar a seguinte solução para manter as pulgas à distância: 2 colheres de sopa de alecrim fervidas em um litro de água. Espalhar também pela casa folhas de erva-de-Santa-Maria e poejo.
  • Afastar os parasitas das plantas: Colocar no liquidificador 3 cebolas, 1 cabeça de alho, 2 pimentas-malagueta e 1 colher de sabão em barra. Bater com meio litro de água e espalhar esta mistura nas plantas. Pode-se também colocar alguns dentes de alho em um pouco de água (se possível, de chuva) e deixar impregnar por cerca de dez dias. Usar, então, em um spray, para pulverizar as plantas.
  • Amaciante de roupas: Ao enxaguar a roupa, colocar meio copo de vinagre branco na última água. Além de amaciar, o vinagre realça as cores e impede que manchem.
  • Pasta de limpeza: Em vez de desperdiçar os restos de sabão (de preferência, biodegradável), reaproveite-os em uma excelente pasta de limpeza. Basta deixar os restos de sabão de molho em um pouco de água (o necessário para formar uma pasta) e, depois, misturar uma colher de vinagre e duas colheres de açúcar. Está pronta sua pasta de limpeza!
  • Adubo natural: Um verdadeiro adubo para as plantas pode ser obtido com substâncias normalmente desprezadas e desperdiçadas. A água que cozinha as batatas (sem sal e fria), a água da lavagem do arroz, os restos de chá preto, borra do café – tudo isso funciona como um excelente adubo. Da mesma maneira, as cascas de batata e de cenoura podem ser colocadas diretamente nos vasos para ajudar o desenvolvimento das plantas.
  • Passar bem: Produtos que facilitam a passagem de roupa contêm, geralmente, muitas substâncias tóxicas e perigosas. A solução feita com uma colher de sopa de polvilho dissolvida em um litro de água cumpre o mesmo objetivo, ao ser aplicada às roupas a serem passadas, sem poluir.
  • Pesticida natural: Ferver folhas de ruibarbo, durante meia hora, em quatro litros de água. Acrescentar uma colher de chá de sabão de coco, para a mistura aderir às folhas e expulsar os pulgões.
  • Tira cheiro: Em um cômodo recém-pintado, o cheiro da tinta fresca desaparecerá mais depressa se deixar no ambiente uma bacia cheia de água com algumas rodelas de cebola ou folhas de laranjeira.
  • Tira ruído: Se a porta estiver rangendo, faça uma mistura de raspa de grafite (ponta de lápis) e algumas gotas de óleo de cozinha. Coloque aos poucos nas dobradiças, fazendo um movimento de abrir e fechar a porta, para que a mistura penetre bem nas dobradiças.
  • Tira manchas: Manchas de gordura são retiradas com uma mistura de água quente com sabão e umas gotas de detergente (de preferência, biodegradável). Lavar e, se restar algum vestígio, polvilhar talco e deixar por algumas horas; esfregar um pedaço de cebola também resolve. Manchas de frutas e doces desaparecem com álcool ou vinagre branco, e manchas de tinta de escrever devem ser lavadas com leite. Na falta do leite, também pode ser usado um punhado de sal umedecido com limão e colocado sobre a mancha, lavando-se em seguida. Mancha de café desaparece esfregando imediatamente, e com paciência, uma pedrinha de gelo até que a mancha suma.
  • Tira umidade: Coloque um recipiente com pedaços de carvão no fundo dos armários, ou então pendure pedaços de giz. Sempre com o cuidado de não sujar as roupas.
  • Fórmula mágica: A velha combinação de água quente e sabão (de preferência, biodegradável) continua sendo o melhor detergente. Ela limpa pisos de cerâmica, ladrilhos e azulejos, tira manchas de parede e a gordura das superfícies. E, melhor ainda, não ajuda a poluir a Terra.

É possível manter plantas vistosas e saudáveis mesmo dentro de casa; saiba como

As plantas cultivadas dentro de casa (indoor gardens) vivem em ambientes com fatores que podem prejudicar ou alterar seu desenvolvimento. Muitas vezes, o que falta é a iluminação adequada, outras vezes há pouca ventilação… isso sem falar na fumaça de cigarros, falta da luz do sol, regas insuficientes ou em demasia.
Por esses e outros tantos motivos, plantas cultivadas em interiores requerem cuidados especiais; do contrário podem ser seriamente atingidas por pragas e doenças, a brotação torna-se reduzida e até inexistente e a folhagem fica murcha e sem brilho.

De maneira geral, podemos destacar três fatores básicos, que não devem ser negligenciados quando cultivamos plantas dentro de casa:
* Luz solar: Semanalmente, recomenda-se colocar as plantas para arejar e tomar sol, de preferência pela manhã, por algumas horas;
* Regas corretas: Plantas dentro de casa não necessitam de regas diárias, a menos que esteja em vaso muito pequeno, com pouca terra. No verão, o ideal é regar as plantas a cada dois dias e no inverno uma média de duas vezes por semana é suficiente;
* Fertilização: Por estarem submetidas a condições adversas, plantas em ambientes internos precisam receber nutrientes adequados. Recomenda-se a aplicação de um fertilizante líquido foliar, que pode ser pulverizado diretamente sobre as folhas, mensalmente.
A escolha de plantas resistentes é uma opção excelente, porque não têm grandes problemas de adaptação. Entre elas, as prímulas, os antúrios, as begônias, as violetas e os filodendros. Em geral, são espécies que não exigem exposição direta ao sol.
Já a calêndula, os gerânios e as azaléias estão entre aquelas que devem ser colocadas em algum lugar onde há iluminação natural.
Antes de tudo, é preciso preparar os vasos para plantio.
No fundo deles, coloque uma camada de argila expandida de brita ou cacos de cerâmica para facilitar a drenagem. Depois, acrescente uma camada de substrato (terra preta) e a seguir a planta, cuidando para que as raízes não sejam danificadas. Complete o preenchimento com terra, assentando-a suavemente com a palma da mão.
Qual o tipo de árvore frutífera dá para plantar num pequeno espaço? As árvores frutíferas anãs, pois permanecem pequenas o suficiente para você colher a fruta próxima ao solo. Outra vantagem das árvores frutíferas anãs é que elas começam a dar frutos muito mais cedo que as árvores de tamanho normal. Experimente jabuticaba, romã, goiaba, acerola, laranja, limão, banana, caju, mamão, graviola, coqueiro, pitanga, seriguela, laranjeira, fruta de conde, caqui, lichia e amora. É possível, cultivá-las até mesmo em vasos grandes.
Que tipo de planta deve ser cultivava numa área com forte incidência do sol da tarde? Cactos, suculentas e frutíferas, Todas ficam bem. Nas suculentas a rega é semanal e muito pouquinho.

A Páscoa está chegando: saiba quais são os cuidados com a criança e seus ovos de chocolate

Com a Páscoa se aproximando, vemos corredores repletos de ovos de páscoa; é natural que o consumo de chocolate aumente nesse período e quem tem filho começa um processo de reflexão em relação à quantidade de chocolate que uma criança pode consumir.
Se deixar, as crianças devoram vários ovos de chocolate num dia, mas se nós adultos não controlarmos a situação, essa criança pode ficar com diarréia, cólicas, super ativa….
Recomenda-se que crianças de 1 ano consumam no máximo o equivalente a uma colher de sopa por dia, e que as de 2 a 5 anos não ultrapassem o limite diário de 30 gramas.
Ressaltamos que o chocolate diet merece atenção, pois como não tem açúcar em sua composição, o seu teor de gordura é maior, para garantir a mesma textura/consistência.
Acreditem, o chocolate diet, em alguns casos, chega a ser mais calórico que o chocolate comum, por isso é indicado apenas para diabéticos, não para pessoas com restrição calórica ou em dieta para perda de peso. Mesmo assim os diabéticos não devem abusar do chocolate dietético, já que são ricos em gorduras e calorias.
Para quem não quer “brigar com a balança”, a melhor opção é o light que pode apresentar até 25% menos calorias.
Os portadores de doença celíaca (intolerância permanente ao glúten) devem redobrar a atenção aos rótulos, pois muitos chocolates podem conter adição de cereais e glúten. Sem falar naqueles ovos crocantes, recheados, entre outros.
O alerta também é válido para quem possui intolerância à lactose (açúcar do leite) uma boa opção para este caso são os chocolates feitos à base de soja.
Os chocolates, contem duzentas e tantas substâncias em sua composição, o que torna difícil identificar o que pode causar alergia.
Promovem uma sensação gostosa de bem-estar, devido à liberação de endorfina e serotonina; além disso, eles contêm antioxidantes, que ajudam a diminuir o risco de algumas doenças, vitaminas e vários minerais como cálcio, magnésio, cobre, zinco, potássio, manganês.
O ideal é que experimentem chocolate somente após um ano de idade e em pequenas quantidades.
Normalmente, alguns tipos de chocolates contêm cafeína, que em excesso, pode tirar o sono ou reduzir o apetite. O melhor é consumi-lo sempre depois das refeições.
E atenção, pois nessa época se ganha chocolate de tudo quanto é lado, e a criança nem sempre sabe o risco que corre. Ela só quer saborear a iguaria. Então se tiver que colocar na agenda da criança, para lembrar ou alertar a professora quanto às restrições de alimentação da criança, faça-o agora, não deixe pra depois.
Atenção aos ovos que possuem brindes e brinquedos dentro, veja se não tem peças que soltam, afinal por estarem junto com o alimento, a criança pode achar que é comestível também e depois tem que parar no pronto socorro.
O melhor local para guardar o ovo de chocolate é na porta da geladeira, esse ovo sim é pra guardar na porta de geladeira, pois só precisa de um local fresco e seco.
Boa Páscoa!

Como higienizar o tênis nosso de cada dia

Essa dica é dedicada a todos que se utilizam do tênis pra praticar esportes, trabalhar, ir à escola, às compras, natação, praticando as mais variadas modalidades esportivas. Afinal existe calçado que ofereça mais conforto e proteção que o tênis?
E, sabemos que o tênis hoje em dia é um investimento, custa caro geralmente, mas dura bastante se soubermos cuidar bem dele.
Para que ele continue a ser o sempre e fiel escudeiro de nossas jornadas, são necessários alguns cuidados em termos de higiene.
A limpeza dele é fundamental, afinal transpiramos bastante pelos pés, e como ficam abafados, favorecem a proliferação de bactérias e fungos, podendo até surgir micoses, chulé, dentre outras dermatites.
Sabia que um em cada três brasileiros tem problema nos pés associado à presença de fungos? Por suas características e uso, o tênis é o local ideal para a proliferação desses fungos. Pois mesmo lavando os tênis na torneira, este demora a secar, permanece molhado durante muito tempo e os fungos voltam a proliferar.
Daí vem a vontade de centrifugar então o calçado, porém colocar o tênis direto na lavadora é arriscado, tanto para o calçado quanto para a máquina.
Já vi muitas técnicas para lavar o tênis, mas esses dias me deparei com uma novidade que facilita em muito nossa vida, principalmente, pelo friozinho que virá daqui pra frente, haja coragem de enfrentar um tanque com água gelada para lavar o tênis.
Trata-se de um saquinho onde você introduz o tênis e coloca direto na máquina de lavar ou tanquinho.
São duas bolsas feitas em tela de alta tecnologia com amortecedores de silicone, que protegem sua lavadora e seu tênis. Esse produto inibe a proliferação de fungos e foi testado e aprovado pelo IBTec e pelo MHC Tecnology.
Para lavar, basta colocar um pé de tênis em cada uma das bolsas e distribuir um de frente para o outro no cesto da máquina de lavar ou tanquinho. Deve-se escolher o ciclo de menor tempo de lavagem e o nível mínimo de água. Depois de finalizado o ciclo de lavagem o tênis está limpo e quase seco.
Se o tênis for de couro, não molhe. Passe um pano molhado em água e sabão de coco. Remova o sabão com um pano úmido e seque com um pano seco.
Agora se você que lavar do jeito convencional, confira as dicas abaixo:
  • Os cadarços devem ser lavados separadamente, faça o mesmo com as palmilhas.
  • Com o auxilio de uma escovinha de cerdas firmes e sabão de coco, esfregue as partes sujas do tecido. Já as partes em borracha, podem ser lavadas com detergentes glicerinado sem cor (pode ser de coco ou o transparente mesmo).
  • E esfregue saponáceo na sola, que é mais abrasivo e facilita a remoção da sujeira mais pesada.
  • Removida a sujeira pesada, deixe o tênis de molho em água com sabão em pó.
  • Em água corrente, enxágüe bem e coloque-os num local quente (na sombra), mas sem incidência direta do sol. Senão podem ficar manchados ou amarelados. Para evitar que eles fiquem deformados, dentro do tênis coloque papel amassado.
  • Vale também polvilhar bicarbonato de sódio ou um talco que absorva o suor e desodorize o tênis.
  • Só então, reconstrua o tênis acomodando os cadarços e palmilhas em seus respectivos lugares.
O tênis tem conquistado cada vez mais espaço na moda e em nosso dia-a-dia, afinal é hoje o calçado que possui a mais moderna tecnologia do pisar, mas é importante mantê-los limpos, afinal, como você define seu estilo (moderno ou desleixado?).

Como identificar o legítimo bacalhau e outras dicas para seu preparo e conservação




Se existe um caso clássico de levar “gato por lebre” é o do bacalhau. Nem todo bacalhau vendido por aí como norueguês veio de fato da Noruega e nem todo bacalhau é realmente bacalhau (no Brasil, todo peixe seco e salgado é considerado comercialmente como bacalhau).
Identificar o bacalhau não é tarefa muito fácil, por isso peça sempre que o estabelecimento onde você compra informe corretamente o tipo e a classificação do bacalhau que está sendo vendido.
Mas você pode fazer algumas observações que ajudam a identificar se está comprando um legítimo bacalhau, veja as dicas a seguir.
Na hora da compra, observe:
A forma do peixe - o legítimo bacalhau é largo e permite o corte em lombos.
O rabo do peixe - deve ser quase reto ou ligeiramente curvado para dentro, de cor uniforme ( se tiver uma espécie de “bordado” branco na extremidade, não é o legítimo ).
A cor “palha” - se o bacalhau é branquinho, não é o legítimo.
A pele - solta com facilidade; puxe um pouquinho para verificar. Outros cuidados para a escolha do legítimo bacalhau:
Repare se o peixe está bem escovado: sua aparência deve ser limpa, sem manchas escuras. Manchas ( pretas ou marrons ) podem ser resíduos do peixe como sangue, bílis, etc , significando que ele não foi bem trabalhado.
Verifique também se ele está bem seco: pegue o bacalhau firmemente pela “cabeça” e solte a cauda. Se ele ficar reto – ou quase reto – está bem curado; se dobrar “caindo” para baixo está mal curado e úmido.
Conservação: Guarde o bacalhau em local seco e refrigerado.
O bacalhau vem para o Brasil transportado em containers secos e refrigerados entre 2º e 5º C. A viagem chega a durar de 2 a 3 semanas.
Muito cuidado é necessário para se evitar o choque térmico assim que o produto é desembarcado, porque o calor e a umidade são inimigos do bacalhau.
Na armazenagem, é muito importante controlar a refrigeração entre 2º e 5ºC.
O bacalhau salgado e seco não deve ser congelado (só  depois de dessalgado) , nem mantido a temperaturas altas, que lhe conferem uma cor avermelhada e alteram o seu sabor original.
Dessalgando o bacalhau (procedimento mais comum)
O bacalhau é seco e salgado, então é necessário dessalgá-lo e hidratá-lo novamente. O bacalhau pode ganhar até 20% peso se for corretamente dessalgado.
Veja como é simples dessalgar e aproveitar o melhor do peixe, fazendo ele render e ficar com um sabor excepcional:
  1. Depois de cortar o bacalhau em postas, coloque-o submerso dentro de um vasilhame sob um fio d’água por uns 10 minutos;
  2. Coloque o vasilhame com o bacalhau coberto de água dentro da geladeira;
  3. Dessalgue o bacalhau dentro da geladeira, pois assim ele irá ficar tenro e consistente. Na água gelada o bacalhau não irá exalar cheiro algum. Se dessalgado fora da geladeira, o bacalhau vai exalar forte cheiro, podendo pré-cozinhar e até estragar, principalmente nos dias mais quentes;
  4. O tempo médio para dessalgue depende da altura das postas ( ou lombos) do bacalhau:
POSTAS NORMAIS: 24 horas
POSTAS GROSSAS: 40 horas
POSTAS MUITO GROSSAS: 48 horas
BACALHAU DESFIADO: 6 horas
Para quem não dispõe do tempo necessário para o dessalgue tradicional, aí vão as dicas:
  1. Corte o bacalhau em bocados e coloque dentro de um vasilhame sob um fio de água permanente; o dessalgue será bem mais rápido que o tradicional – dependendo do tamanho do lombo, pode-se dessalgar o bacalhau em até 12 horas adotando este método;
  2. Para dessalgar o bacalhau que não esteve de molho, faça o seguinte: leve-o ao fogo para aferventar com bastante água, juntando a ele, quando começar a ferver, um punhado de sal ( 2, 3, 4 colheres de sopa ), de acordo com a quantidade de bacalhau; logo que ferver escorra, escalde em água fria (agora sem sal) e torne a levar ao fogo com bastante água fria, agora sem sal, para dar nova fervura. Escorra e verifique o sal do bacalhau; se necessário, dê mais fervuras, sempre em água pura, sem sal. Nota: todas as vezes que o bacalhau for ao fogo é para dar apenas uma fervura e não para cozinhar.
  3. Se o bacalhau ficou mais salgado do que o esperado, cubra-o com leite fervente e deixe-o por 30 minutos, se necessário, repita a operação.
Dicas de Preparo:
  1. Para saber a quantidade de bacalhau numa refeição, calcule entre 150g e 250g por pessoa;
  2. O melhor momento para retirar a pele do bacalhau é quando ele ainda está salgado e seco: levante a pele em uma das extremidades e retire-a com puxadas firmes. Depois do cozimento, a pele também sai com facilidade. O melhor momento para retirar as espinhas é quando se desfia o bacalhau ainda salgado e seco ou depois do cozimento;
  3. O bacalhau não deve ser fervido, a não ser que a receita ou o preparo indiquem. A fervura prejudica o paladar e resseca o peixe. Deve ser sempre preparado em água a ferver, ou seja, em fogo brando, sem borbulhar; você pode reservar o caldo do bacalhau ( a água do cozimento ) para cozinhar as batatas ou o arroz.
  4. Em receitas de bacalhau ao forno ou bacalhau na brasa, faça um pré-cozimento no bacalhau, colocando-o em um tabuleiro imerso em água em fogo brando, sem ferver, durante 10 minutos;
  5. Se quiser apurar o paladar do bacalhau, de acordo com a receita, deixe-o temperado com azeite e ervas ( por exemplo, coentro ou salsa ) ou submerso no leite durante pelo menos 2 horas antes do preparo;
  6. A qualidade da refeição com bacalhau também depende da qualidade dos complementos: o azeite de oliva deve ser extra-virgem, de preferência português; as batatas, do tipo HBT; as azeitonas pretas, portuguesas, e as verdes, portuguesas, argentinas ou espanholas.